segunda-feira, 6 de março de 2017

Boa safra não basta

Por Arimatéia Azevedo

As chuvas boas que caíram sobre a região Sudoeste do Piauí, onde se concentram mais de 90% da produção de grãos do Estado, devem favorecer a colheita da maior safra da história piauiense. São esperadas mais de 3 milhões de toneladas, com a soja respondendo por dois terços do que vai ser colhido. Haverá mais dinheiro em circulação, fazendeiros afogados no mar de dívida agora têm a salvaguarda de colheitas que devem também ser recordes em produtividade e as outras cadeias produtivas dependentes do que se colhe nos campos também saem do sufoco. O governo, que é sócio sem plantar, cuidar ou colher, engorda seu caixa com os impostos. Tudo estaria bem se a infraestrutura viária da região não tivesse comprometida por anos da ausência de compromisso em se concluir estradas essenciais para escoar a safra e insumos a menor custo, reduzindo perdas na implantação das culturas e aumentando o ganho pelo frete menor na saída dos grãos do campo. A estrada Transcerrado só tem 80 quilômetros de asfalto, a partir de Uruçuí na direção da estrada de acesso à Serra do Quilombo (já pavimentada) e daí até Currais e Palmeira do Piauí, interligando-se à BR-135, outra vergonha da infraestrutura viária daquela região. A estrada tem até um bom piso de asfalto, mas a ausência de acostamento faz dela um risco para motoristas, com frequentes acidentes que causam dor e morte. Portanto, faz tempo que passou da hora de dar um suporte viário para a logística da região que mais produz grãos no Piauí.
Fonte: PortalAZ
Edição: Mário Pires Santana