quinta-feira, 27 de abril de 2017

Leia o novo artigo: Todos contra as reformas?

Por Josenildo Melo

Reforma é a ação e o efeito de reformar ou de se reformar. Este verbo, por sua vez, significa voltar a formar, refazer, modificar algo, emendar ou corrigir. Algo está errado? Será se somente o governo federal está correto? Por quê todas as grandes instituições e de credibilidade se posicionam contra as reformas da previdência social e trabalhista? Por quê vai atingir somente os mais vulneráveis. O povo necessitaria ser devidamente ouvido e não simplesmente aceitar essas reformas.
Está contra a reforma trabalhista e previdenciária não significa necessariamente está apoiando partido a, b, c ou d. Está contra as reformas significa a percepção exata da realidade. Toda pessoa em sã consciência sabe que muitas vezes o rolo compressor governamental é estimulado a aprovar tudo e da forma que as classes mais abastadas preferem. Mais o rompo previdenciário?
Mesmo que este rombo exista; não seria prudente tapar este rombo sem mexer com os mais pobres? A revolução Francesa surgiu de onde? De um momento em que tudo se constituía em taxar a base da pirâmide! Senhores estamos vivendo momentos difíceis. Os celulares estão fazendo “misérias” nas redes sociais. Será se somente os jornalões e revistas semanais conseguirão de fato segurar a fúria popular? A corda já não anda suficientemente esticada em todos os setores da sociedade?
O que é a Previdência Social ? A Previdência Social funciona como um seguro para a pessoa que contribuiu durante toda a vida com o órgão e agora não pode mais exercer suas funções seja por idade, doença ou invalidez. Para ter direito a esse seguro, o trabalhador deve pagar uma contribuição mensal durante determinado tempo para o INSS. O tempo da contribuição varia muito do tipo de aposentadoria escolhido. O INSS recebe as contribuições e guarda todo o valor para pagar ao contribuinte quando ele para de trabalhar e se aposenta. O seguro recebido passa a ser o único sustento do contribuinte. Além do aspecto pecuniário a Previdência Social tem todo um arcabouço sustentatório de garantia de direitos sobretudo no que diz respeito aos mais simples, aos pobres e vulneráveis. Esta reforma não pode acontecer! E o que fazer? Procurar alocar recursos de tal forma que possa cobrir este dito rombo que dizem que existe. Será que existe realmente? O que está realmente por detrás de tanto interesse em aprovar esta reforma sem uma devida consulta popular? Mistério?
Senhores cada grupo de whatsApp comporta no máximo 256 seguidores? É isso? Matematicamente calcule que cada pessoa participe de 10 grupos...qual o valor ? 2.560 seguidores. Quantos celulares modernos e ultramodernos estão atualmente nas mãos da população brasileira? Sim mas a trajetória histórica do Brasil é de muita passividade? Certo mesmo é que somente sexta-feira saberemos o que advirá das mobilizações. Mas mesmo que elas não sejam na dimensão esperada...senhores vocês vão continuar acreditando que tudo vai continuar do mesmo jeito? Quem imaginava o que hoje está acontecendo hoje com muitos que se achavam distantes das garras da Lei? A verdadeira reforma está acontecendo e ninguém ainda se tocou sobre isso....as emissoras de TV e de Rádio vão conseguir realmente conter as massas? Que massas? Senhores o momento é realmente muito difícil.
O todos contra as reformas é apenas um movimento da velha esquerda? Será se a dimensão do problema não vai além disso. Será se a profundidade de fatos e acontecimentos de fato não começa a preocupar? Mesmo que as reformas da previdência e trabalhista passem....o que verdadeiramente passará? A reforma dos hábitos e costumes; a percepção de que o problema vai além do ser de esquerda..direita ...conservador ou moderno....A Revolução Popular somente não acontecerá se de fato ….senhores vocês começarem a perceber o povo como portador de direitos e não meros ouvintes ou telespectadores! O todos contra as reformas está vindo de cima pra baixo. Isso é um perigo?
Vai ser difícil continuar mantendo o poder através do mando. O diálogo é a Razão!
Fonte: Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana