domingo, 30 de abril de 2017

Temer tem 61% de rejeição e 85% defendem eleições diretas, aponta Datafolha

Foto: Alan Santos/PR
Jornal GGN - Seguindo os resultados indicados por outras pesquisas de opinião, levantamento realizado pelo Datafolha mostra que a rejeição ao presidente Michel Temer (PMDB) continua crescendo, sendo que 61% dos entrevistados avaliam sua gestão como ruim ou péssima.
Os números se aproximam da rejeição enfrentada pela então presidente Dilma Rousseff (PT) pouco antes de ser afastada pela Câmara dos Deputados no processo de impeachment, quando ela tinha 63% de rejeição e 13% de aprovação. De acordo com o Datafolha, outros 28% consideram a gestão Temer regular e somente 9% afirmam que ela é boa ou ótima. A rejeição ao peemedebista como eventual candidato à presidência em 2018 subiu de 45% em dezembro para 64% no último levantamento. 
A pesquisa entrevistou 2781 pessoas em 172 municípios brasileiros, com margem de erro de 2 pontos e também perguntou sobre um cenário no qual Temer é cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A corte julga a chapa Dilma-Temer por acusações de abuso de poder econômico em 2014.
Em caso de cassação, 85% dos entrevistados afirmam que o Congresso deveria aprovar uma mudança na Constituição Federal para permitir novas eleições diretas. Se Temer for cassado no julgamento marcado para maio, a Constituição prevê nova eleição indireta, pelo Congresso, já que o mandato presidencial está em sua segunda metade. Somente 10% apoiam a hipótese de eleições indiretas.
Fonte: Luis Nassif Online
Edição: Mário Pires Santana