sexta-feira, 28 de abril de 2017

Trabalhadores do Piauí aderem à mobilização nacional e deflagram greve geral

O protesto é contra as reformas Trabalhista e da Previdência.
Da Redação do Portal AZ

Os manifestantes já estão concentrados na Praça Rio Branco, no Centro de Teresina, e, posteriormente, farão um ato público em frente à sede do INSS. Em seguida eles farão um ato na Praça da Liberdade. Por enquanto o trânsito está tranquilo e somente a Rua Areolino de Abreu está interditada.
Por volta das 7h30h, os ônibus que circulavam pela capital paralisaram e aderiam ao movimento, com previsão para voltar somente às 15h. Diversas categorias trabalhistas no Piauí vão aderir à mobilização contra as reformas, Trabalhista e da Previdência e a Lei de Terceirização propostas pelo Governo de Michel Temer. O movimento ocorrerá nesta sexta-feira (28) em todo o Brasil. A Greve Geral dos trabalhadores, convocada pelas centrais sindicais, movimentos sociais e diversas entidades de todo o país, envolverá servidores municipais e estaduais que irão se reunir às 8h na Praça Rio Branco, em Teresina, e, posteriormente, farão um ato público em frente à sede do INSS. Em seguida eles farão um ato na Praça da Liberdade. O movimento está previsto para encerrar às 15h. O Sindicato dos Policiais Civis do Piauí (Sinpolpi), deliberou em assembleia pela paralisação de 24 horas na data de mobilização. Enquanto estiverem paralisados, os policiais civis atenderão somente latrocínio, estupro, homicídio e crimes contra idosos e crianças. Esses crimes poderão ser registrados normalmente, mas não serão investigados enquanto a paralisação estiver em curso.
Já os agentes penitenciários irão paralisar audiências, visitas íntimas e de familiares, atendimento aos advogados, defensores públicos. Novos presos também não serão recebidos durante o movimento. Com isso, as visitas de familiares aos detentos devem ficar suspensas até domingo (30) em todo Sistema Prisional do estado.
Os professores da rede particular de Teresina e da rede pública municipal e estadual também vão participar da mobilização. A Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí (Adufp) se concentrará no Pórtico da instituição das 6h às 11h e fará panfletagem, café da manhã e debates sobre a análise da conjuntura política em questão. A Associação de docentes da Universidade Estadual do Piauí (Adcesp) também terá atividades em apoio ao movimento.
Em nota, o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado do Piauí - Sinepe-PI, Paulo Raimundo Machado Vale, recomendou a manutenção das atividades escolares normais durante o movimento.
O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindeserm) irá reforçar a data com a realização de uma Assembleia Geral, a partir de 8h, no Teatro de Arena, centro de Teresina. Na assembleia, serão debatidas a campanha salarial do ano, pautas específicas dos setores, greve da saúde municipal e o indicativo de uma greve geral da categoria. Com relação ao transporte coletivo da capital, os motoristas e cobradores também interromperão os serviços até às 15h da sexta-feira.
O Tribunal Regional do Trabalho e as agências bancárias do estado também manifestaram apoio ao movimento e não funcionarão. Os trabalhadores dos Correios deverão se unir as demais categorias que aderiram ao movimento. Nesta quarta-feira (26), estarão reunidos em Assembleia Geral Extraordinária para aprovação de greve por tempo indeterminado. Eles alegam falta de segurança nas agências, pedem pelo retorno da entrega diária e abertura dos livros contábeis da empresa, contra as ameaças de demissões, e contra a Reforma Trabalhista e Previdenciária.
Fonte: Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana