segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Olavo: "não podemos ser uma nação de desavergonhados"

Paulo Pincel
Presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Olavo Rebelo/Foto/Paulo Pincel
O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Piauí, conselheiro Olavo Rebelo, afirmou que o Brasil não pode continuar assistindo sucessivos escândalos de corrupção, uma “nação de desavergonhados”. Olavo foi incisivo ao discursar durante a solenidade de 118 anos do TCE-PI, na manhã desta segunda-feira (28).
“Fazemos um apelo. É preciso combater os gestores corruptos. Não podemos generalizar e por isso dissemos que quem não vestir a carapuça poderia assumir esse discurso. Nós queremos dizer que é hora de darmos um basta em tudo isso. O aprofundamento da crise de corrupção leva a uma situação irreversível para o país. Não podemos ser uma nação de desavergonhados”, provocou o presidente do TCE-PI
Olavo Rebelo lembrou que a crise econômica é grave. E pode se tornar irreversível caso não seja tomada uma providência contra a falta de ética e de moral. “A crise econômica já é grande e juntando a crise moral e ética não tem nação que suporte. A corrupção quando é praticada em um estado pobre como o Piauí, que também está no contexto do Brasil, é pior ainda. Fizemos um apelo, que pode parecer meio inocente, mas é o que podemos fazer nesse momento. Gostaríamos que os gestores tomem consciência de que cada ato de corrupção praticado é menos merenda, remédios, entre outras coisas. É um mal para todos os habitantes do Piauí”, afirmou aos jornalistas após a solenidade.
Fonte: Redação/Piauí Hoje
Edição: Mário Pires Santana