sexta-feira, 22 de setembro de 2017

'Vitória para toda a mídia piauiense', diz Arimateia sobre derrubada de censura ao 180

Jornalista editor do Portal AZ lembra que denúncias contra empreiteiro iniciaram ainda em 2009, no seu site.
Por Apoliana Oliveira 

O jornalista Arimateia Azevedo destacou na manchete do Portal AZ, do qual é editor-chefe, a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, que cassou uma liminar expedida pela justiça no Piauí que impunha censura ao portal 180graus. "Representa uma vitória para toda a mídia piauiense", diz em texto publicado nesta tarde de quinta-feira (21/09).
Na matéria, destaca que ­­­ainda em 2009, o empresário Gustavo Macêdo - empreiteiro proprietário da Caxé - já era alvo de denúncias do seu portal de notícias, sobre a prática de nepotismo, à época. O empresário é o mesmo que acionou o 180 na justiça, para impedir que seu nome e sua empresa fossem citados em matérias jornalísticas envolvendo o que ficou conhecido como Caso Idepi.
Em seu texto, Arimateia diz que a narrativa jurídica construída tenta enquadrar o hoje jornalista do 180, Rômulo Rocha, como perseguidor de uma ex-namorada, a atual esposa do empreiteiro Gustavo Macêdo. O jornalista aponta que tal tentativa contra o repórter "possui de cara alguns furos". Para explicar, recorda a decisão do então ministro Joaquim Barbosa, que pedia a exoneração da esposa do empreiteiro, dos quadro dos Tribunal de Contas do Estado. Gustavo é sobrinho legítimo de Sabino Paulo, ex-conselheiro da Corte de Contas, o que implicava no enquadramento de sua esposa à Súmula Vinculante nº 13, que veda a prática de nepotismo.
O caso foi denunciado em 2009, segundo Ari, por "matérias que pertencem à linha editorial do Portal AZ", que em ação na justiça foram atribuídas a Rômulo Rocha. "Só que as publicações pertencem a jornalistas desse portal, que à época noticiavam casos de nepotismo como advento das consequências da edição da Súmula Vinculante Nº 13", diz o editor do AZ.
Clique na imagem e leia a íntegra da matéria no Portal AZ
A tentativa de atribuir a autoria destas matérias a Rômulo seria uma forma de lhe implicar, pelo relacionamento que tivera com atual esposa do empreiteiro, porém findou há 12 anos. "(...) quase 8 anos da data de publicação dessas matérias feitas por esse portal. E só agora, depois que é noticiado um amplo caso de supostos desvios de recursos públicos no Instituto de Desenvolvimento do Piauí (IDEPI), é que a narrativa de perseguição é construída e trazida à tona envolvendo delegacias e a justiça", questiona Arimateia. Na matéria o editor do AZ remonta ainda todo o histórico envolvendo a esposa do empreiteiro, a decisão do Supremo contra ela em 2009, o processo recente contra o 180graus e a derrubada da censura imposta pela juíza Lygia Sampaio. 
Vitórias da imprensa do Piauí
O Portal AZ também recentemente obteve vitória no Supremo Tribunal Federal, quando, há dois anos, o ministro Celso de Melo derrubou liminar do juiz da 9ª Vara Cível, Antônio Soares Santos, que impedia o site de divulgar informações sobre o assassinato da estudante Fernanda Lages, morta em 2011, e sobre o engenheiro Jivago Castro. O ministro entendeu o caso de censura ao AZ como "clara transgressão" ao comando da decisão proferida pelo Supremo, com efeito vinculante, na ADPF 130.
Fonte: 180graus.com
Edição: Mário Pires Santana