sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Jovem piauiense ganha medalha na Olimpíada Brasileira de Informática

O piauiense Carlos Eduardo poderá participar da seleção para escolha do representante brasileiro na Olimpíada Internacional de Informática no Japão, em 2018.
Por Marta Alencar

Apesar da infância difícil, o piauiense Carlos Eduardo de Santana Bastos, de apenas 17 anos, tem uma história de superação e de coragem. Natural do município de São Raimundo Nonato, localizado a 521,9 Km de Teresina, Carlos foi criado pela avó materna. Com o passar dos anos, o jovem dedicou-se aos estudos em uma escola municipal. E em seguida, decidiu ingressar no Instituto Federal do Piauí (IFPI) para cursar o Ensino Médio/Integrado em Informática. Por mais incrível que pareça, Carlos teve o primeiro contato com os computadores durante o curso no IFPI. “Foi ai que tive o primeiro contato com a Informática. Logo de início me apaixonei por esse mundo e não via minha vida sem a informática”, narrou o jovem. Diante da curiosidade e do empenho de Carlos nas aulas, o professor de informática, Dann Luciano de Menezes, apresentou ao aluno a OBI (Olimpíada Brasileira de Informática).
O jovem piauiense Carlos Eduardo de Santana Bastos, de apenas 17 anos, é campeão da OBI. Foto: IFPI
No primeiro ano do curso, o jovem teve instruções sobre programação com o professor. Com o estímulo para participar da OBI, o jovem decidiu participar da Olimpíada no ano seguinte, onde obteve o 100º lugar no ranking geral. “Com isso, eu e os professores percebemos que poderíamos melhorar essa colocação”, relatou Carlos. A partir daí, o jovem intensificou seus estudos na área e também em Matemática. “Meus professores de informática me recrutaram e começaram a trabalhar mais comigo, sempre me passando conteúdos e tirando dúvidas. Quanto mais eu aprendia, mais conteúdos eles passavam. Em paralelo a isso, fui percebendo a necessidade de aprender também matemática (a maior parte dos problemas da OBI requerem um bom conhecimento na disciplina), com isso eu também comecei a estudar bem mais do que a maioria dos outros alunos”.
Carlos Eduardo e o professor de Informática Dann Luciano.//Foto//Arquivo pessoal.
Assim, o piauiense conseguiu a medalha de bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas em 2016. “Cada vez mais, eu me encantava com esse mundo de desafios”, disse. Já no 3º ano do Ensino médio, o jovem decidiu fazer novamente a OBI, onde conquistou o 24º no Ranking Geral. “Tive minha primeira premiação na mesma (Honra ao mérito), isso na modalidade programação nível 2. Só que eu e meus professores percebemos que ainda dava para melhorar essa colocação. Foi quando passei a dedicar a maioria do meu tempo pra estudar para a OBI, de 18 às 22h. Me dedicava nesse período para o estudo da mesma e também de matemática. E sempre que tinha algum tempo livre eu estudava mais”, acrescentou Carlos.
Esforço + concentração = vitória
Após horas e mais horas de dedicação, o jovem conquistou o 6º colocado no Ranking Geral da OBI. Por causa dessa colocação, o aluno participará da Semana Olímpica em dezembro, que será promovida em Campinas (SP). “Fui premiado com medalha de prata e fui convidado a participar da Semana Olímpica, onde acontecerá a premiação para os melhores colocados e também a seletiva para compor a equipe que representará o Brasil na Olimpíada Internacional de Informática, que acontecerá no ano que vem no Japão”, disse entusiasmado.
Carlos Eduardo e os professores que ajudaram a conquistar o título na OBI. // Créditos: IFPI
Apesar das dificuldades que enfrentou desde a infância, o jovem encara os estudos como a oportunidade para vencer na vida. “Então, como eu vim do interior, de uma família que não tem tantas condições financeiras, a única saída para ser alguém na vida foi estudando. Isso foi à peça chave. Agradeço o professor Dann Luciano de Menezes, porque ele me apresentou a Olimpíada Brasileira de Informática e esse mundo dos algoritmos. E também, porque me deu todo o suporte e orientação para que eu pudesse me preparar para a OBI”, declarou o jovem.
Orgulhoso do aluno, o professor Dann Luciano, afirmou que Carlos Eduardo sempre foi um aluno dedicado desde o primeiro ano no curso. “Resultados expressivos em competições desse porte são motivo de orgulho para toda a instituição”, concluiu o professor.
OBI
A Olimpíada Brasileira de Informática (também conhecida somente por OBI) é uma competição de programação realizada anualmente desde 1999 pela Sociedade Brasileira de Computação. É uma competição aberta a todos os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio. A OBI é dividida em diversos níveis da seguinte forma: Iniciação 1 (I1); Iniciação 2 (I2); rogramação Júnior (PJ); Programação Nível 1 (P1); Programação Nível 2 (P2) e Programação Nível U (PU). Todo ano, quatro alunos da P2 são selecionados para ser parte da equipe brasileira da Olimpíada Internacional de Informática. Além disso, os melhores alunos de cada um dos níveis são chamados para uma semana de um curso de programação na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).
Fonte: Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana