segunda-feira, 23 de outubro de 2017

“O PETRÓLEO (NÃO) É NOSSO”

"Nove anos após o anúncio da descoberta do Pré-sal, o nosso ouro negro começa a ser entregue às gigantes do petróleo internacional", denuncia o jornalista Florestan Fernandes Júnior, que anuncia que "dois leilões estão marcados para a próxima sexta-feira, pondo fim à exclusividade da Petrobras na exploração da imensa reserva de petróleo que está armazenado debaixo da camada de sal"; "É dado como certo que a maior riqueza do país será entregue por um preço irrisório", prevê; "O Brasil investiu pesado em pesquisa e tecnologia nos últimos dez anos para viabilizar a exploração dos quase 80 bilhões de barris de petróleo no Pré-sal e agora vai entregar na bacia das almas as reservas e toda a expertise de exploração, enriquecendo empresas e países bem distantes do Brasil. O que sobrará deste nosso país depois que as aves de rapina forem embora?", questiona
Por Florestan Fernandes Jr, no Facebook
Nove anos após o anúncio da descoberta do Pré-sal, o nosso ouro negro começa a ser entregue às gigantes do petróleo internacional. Dois leilões estão marcados para a próxima sexta-feira, pondo fim à exclusividade da Petrobras na exploração da imensa reserva de petróleo que está armazenado debaixo da
camada de sal.
É dado como certo que a maior riqueza do país será entregue por um preço irrisório. Em matéria publicada no Estadão de domingo, o professor de economia da UERJ e ex-diretor da Agência Nacional do Petróleo, Helder Queiroz, afirma que um único poço do Pré-sal é capaz de produzir 40 mil barris por dia, volume equivalente ao de campos inteiros do pós-sal, que contam com diversos poços.
Não é à toa que o presidente da Shell Brasil, André Araújo, tenha dito que "o Pré-sal é onde todo mundo quer estar". Todos, menos os golpistas que tomaram o poder no Brasil.
Recentemente, escrevi um texto mostrando o passo a passo da operação colocada em andamento para retirar do povo brasileiro a soberania sobre a exploração do Pré-sal. Começou em 2008 com o roubo de 4 laptops e 2 HDs de engenheiros da Petrobras com informações sigilosas da bacia de Santos, passando pela espionagem contra a presidenta Dilma feita pelo governo norte-americano e a denúncia feita por Edward Snowden de que a CIA espionava também a Petrobras. 
O Brasil investiu pesado em pesquisa e tecnologia nos últimos 10 anos para viabilizar a exploração dos quase 80 bilhões de barris de petróleo no Pré-sal e agora vai entregar na bacia das almas as reservas e toda a expertise de exploração, enriquecendo empresas e países bem distantes do Brasil. O que sobrará deste nosso país depois que as aves de rapina forem embora? Uma Biafra, um Haiti? Ou alguém acredita que o tal do mercado vai dividir conosco os seus lucros estratosféricos?
Fonte: Brasil 247
Edição: Mário Pires Santana