segunda-feira, 16 de outubro de 2017

PF APROXIMA GEDDEL DA DELAÇÃO E TEMER DA QUEDA

A blitz realizada nesta manhã no gabinete do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) torna praticamente inevitável a delação premiada de Geddel Vieira Lima, operador e homem de confiança de Michel Temer há mais de duas décadas; sem perspectiva de deixar a Papuda, Geddel foi o pivô da maior apreensão de dinheiro sujo da história do Brasil, quando R$ 51 milhões foram encontrados em seu bunker; agora, com o irmão também em apuros, o único caminho para reduzir sua pena é revelar a origem do dinheiro e também seus destinatários às vésperas da apreciação da denúncia em que Temer é acusado de corrupção, obstrução judicial e organização criminosa.
Por Bahia 247
Preso há pouco mais de um mês na Papuda, Geddel Vieira Lima, operador e homem de confiança de Michel Temer há mais de duas décadas, tem uma única saída para reduzir sua pena: contar o que sabe sobre o bunker de R$ 51 milhões estourado pela Polícia Federal em Salvador.
Geddel foi o pivô da maior apreensão de dinheiro sujo da história do Brasil e agora seu irmão Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), outro dos articuladores do golpe
de 2016, também foi atingido por uma blitz da Polícia Federal É uma péssima notícia para o Palácio do Planalto, às vésperas da apreciação da denúncia em que Temer é acusado de corrupção, obstrução judicial e organização criminosa.
Abaixo, reportagem da Reuters:
(Reuters) - A Polícia Federal realiza buscas na manhã desta segunda-feira no gabinete do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) na Câmara como parte das investigações relativas à descoberta de 51 milhões de reais em espécie em um apartamento de Salvador atribuídos ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, irmão do parlamentar, segundo a TV Globo. Além das buscas na Câmara, a PF também cumpre mandados no apartamento residencial do deputado em Brasília e em mais dois endereços ligados ao parlamentar em Salvador, acrescentou a Globo.
Procurada, a Polícia Federal não respondeu de imediato.
No mês passado, a Justiça Federal do Distrito Federal enviou ao Supremo Tribunal Federal investigações relativas às operações que envolvem Geddel por suspeitas de que seu irmão, que possui foro privilegiado, possa estar envolvido no crime de lavagem de dinheiro. De acordo com a Justiça Federal do DF, a operação que encontrou os 51 milhões de reais atribuídos a Geddel em um apartamento em Salvador esbarrou em indícios de que Lúcio também pode ter participado do crime de lavagem de dinheiro.
Fonte: Brasil 247
Edição: Mário Pires Santana