sexta-feira, 24 de novembro de 2017

LULA: ESTÃO VENDENDO O PAÍS SEM CONSULTAR O POVO

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou nesta sexta-feira, 24, sua convicção de ser novamente candidato à Presidência da República nas eleições de 2018; em entrevista à Agência EFE, o líder em todas as pesquisas de intenções de voto atacou o plano de privatizações de Michel Temer; "Aqui em vez de fazer investimentos e gerar emprego e gerar riqueza, eles vão vendendo as coisas que não são deles, e vão vendendo sem consultar o povo. Construíram uma maioria fascista no Congresso Nacional e acham que podem se desfazer do Brasil", criticou; Lula esclareceu que não perdoou os políticos que respaldaram a cassação de Dilma, mas os cidadãos que se mostraram a favor da saída da petista; "O que eu estou perdoando é que os golpistas não fizeram o golpe apenas porque eles quiseram, eles tiveram o apoio de uma parcela da sociedade. Essa gente que foi para a rua, essa gente que bateu panelas". 
Por Brasil 247
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou nesta sexta-feira, 24, em entrevista à Agência EFE, sua convicção de ser novamente candidato à Presidência da República nas eleições de 2018. "O PT não vai abrir mão de um candidato que tem perspectivas de ganhar para tentar criar um candidato novo. Eu gostaria que a gente tivesse dezenas e dezenas de pessoas preparadas no PT para ser candidatas, mas o partido entende que nesse momento a minha candidatura é a melhor coisa que pode ajudar o Brasil, pode ajudar o PT e sobretudo pode ajudar o povo trabalhador brasileiro", disse Lula.
Líder em todas as pesquisas de intenções de voto, Lula atacou o plano de privatizações de Michel Temer. "Aqui em vez de fazer investimentos e gerar emprego e gerar riqueza, eles vão vendendo as coisas que não são deles, e vão vendendo sem consultar o povo. Construíram uma maioria fascista no Congresso Nacional e acham que podem se desfazer do Brasil", lamentou.
Sobre o golpe parlamentar que retirou do poder a presidente Dilma Rousseff, Lula esclareceu que não perdoou os políticos que respaldaram a cassação de Dilma, mas os cidadãos que se mostraram a favor da saída da petista.
"O que eu estou perdoando é que os golpistas não fizeram o golpe apenas porque eles quiseram, eles tiveram o apoio de uma parcela da sociedade. Essa gente que foi para a rua, essa gente que bateu panelas", afirmou o ex-presidente.
"Essa gente são eleitores brasileiros que nós precisamos respeitar. Essas pessoas não são inimigas porque num determinado momento foram contra a gente (...). É possível lembrar que a gente pode conquistar de volta essa gente para um projeto para o Brasil", completou.
Assista abaixo à entrevista de Lula à Agência EFE: 
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.