terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Detentos da Penitenciária Fontes Ibiapina em Parnaíba participaram de revisão do Enem neste sábado (02)

Na revisão foram abordadas seis disciplinas que serão cobradas no Exame do ENEM e do ENSEJA.
Por Reginaldo Júnior – Jornalista SRTE/PI 1630
Detentos da Penitenciária Fontes Ibiapina em Parnaíba participaram de revisão do Enem no sábado (02) (Foto: Reginaldo Júnior
Com os olhares fixos e atentos voltados para as dicas apresentadas pelos professores e lápis nas mãos para anotar os conteúdos que eram transmitidos pelos professores que se revezaram durante a revisão do Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL 2017) do Exame Para Certificação de Competência de Jovens e Adultos (ENCCEJA). A revisão foi realizada neste sábado (02) em uma sala de aula dentro da Penitenciária Fontes Ibiapina em Parnaíba e contou com a presença de 45 detentos do sistema prisional de Parnaíba.
As provas do ENEM serão aplicadas nos dias 12 e13 de dezembro em todo o Brasil, quanto as provas do ENCCEJA, serão realizadas nos dias 19 e 20 do mesmo mês em todo o Brasil. Este ano no Piauí, mais de 100 detentos se inscreveram para fazer os exames. Na revisão foram abordadas as disciplinas de linguagem, matemática, química, redação, filosofia e biologia. 
Para Renê Castro Silva, a aula deste sábado foi muito importante para revisar o conteúdo visto nas aulas que foram ministradas pelos professores que estiveram aqui. Renê pretende se formar em informática e deixar a prisão para trabalhar.
Renê de Castro Silva pretende estudar informática. (Foto: Reginaldo Júnior)
“Pretendo continuar estudando para eu consiga ganhar o benefícios de redução de perna me informar em informática e trabalhar. Ao sair daqui vou ter uma vida diferente voltado para o trabalho e minha família, contou”. 
O ENEM e o ENCCEJA são visto para os internos como a oportunidade de mudar de vida, conseguir redução da pena e garantir a reinserção na sociedade. José Wilson Veras Costa, um dos detentos que espera pelo benefício. 
José Wilson Veras Costa - ENCCEJA. (Foto: Reginaldo Júnior)
“Não dei valor a minha liberdade agora estou aqui e vou buscar a realização do meu maior sonho, a minha liberdade. Tenho muita fé que irei conseguir aprovação no exame do ENSEJA, depois tentarei o ENEM e finalmente conseguirei me formar e trabalhar para dar uma vida digna para minha família”, afirmou José Wilson.
Welington Soares, professor de português e redação, falou de sua experiência de ministrar aula dentro de um presídio. “Não é a primeira vez que minha sala de aula é montada numa penitenciária, vejo com naturalidade momentos como este e me sinto feliz em poder ajudar na mudança de vida dessas pessoas que estão privadas de suas liberdades. É um momento muito importante para nós professores, está aqui contribuindo com a possível ressocialização dos detentos”, falou o professor.
Professor de redação Wellington Soares em entrevista durante revisão para os detentos de Parnaíba (Fotos: Reginaldo Júnior)
“Estudar é um dos requisitos a remissão de pena, é o que diz a Lei Federal nº 12.433/2011, da Lei de Execução Penal (7.210/84) que foi alterada e trata da redução do tempo de execução da pena, considerando o estudo ou o trabalho”, disse a Coordenadora de Ensino Prisional da SEJUS.
Fernando Caldas - Diretor da Penitenciária Fontes Ibiapina e a Professora Juciara Valente Coordenadora de Ensino Prissional da SEJUS. (Foto: Reginaldo Júnior)
Para o Agente Penitenciário e Diretor da Penitenciária Fontes Ibiapina em Parnaíba, Fernando Caldas, “a Lei nos diz que a cada 12 horas do detento nas aulas no sistema penitenciário, ele garante um dia de remição. Se acontecer do detento concluir o Ensino Fundamental, Médio ou Superior dentro do sistema, ele terá um acréscimo de 1/3 na redução na pena”, finalizou. 
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.