domingo, 11 de fevereiro de 2018

CUT repudia interferência de ACM Neto na transmissão do Carnaval de Salvador

Para a Central, ao impedir a colocação das câmeras da TVE no circuito Barra Ondina, a prefeitura de Salvador beneficia a Rede Globo, aliada do prefeito do DEM.
Por Redação RBA
Sem a interferência de ACM Neto, que mandou retirar as câmeras, a TVE faria a maior cobertura do Carnaval baiano/Foto/Reprduão
São Paulo – A CUT Bahia divulgou hoje (11) nota de repúdio à interferência do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), na transmissão do Carnaval baiano em favor da TV Globo, de quem é aliado. A Central classificou como “atitude golpista, fascista, antidemocrática e desrespeitosa” do prefeito, que “agiu de forma desigual entre as emissoras de TV” ao atentar contra a liberdade de imprensa ao tentar barrar as transmissões ao vivo do carnaval da Bahia pela TVE”.
Conforme o comunicado, a Central considera "irresponsável" a atitude do prefeito ao proibir a instalação de câmeras da TVE no circuito do carnaval para transmissão do circuito Barra Ondina, mesmo após emissão de laudo técnico liberando a instalação.
Para a CUT Bahia, trata-se de uma "atitude mesquinha, desastrosa e arbitrária, que só fortalece sua imagem de prefeito golpista, fascista, aliado de Temer que deu o golpe na democracia brasileira para tomar de assalto um governo eleito de forma legítima e democrática para roubar direitos e conquistas da classe trabalhadora".
A TVE havia divulgado nota na quinta-feira (8), na qual manifestava o direito de ter as mesmas condições para a transmissão do Carnaval de Salvador. Após aval de técnicos da prefeitura, a própria gestão mandou retirar uma plataforma da TVE do circuito Barra Ondina.
Com a TV Educativa, pública, esta seria a maior cobertura do Carnaval baiano, com mais de 65 horas ao vivo, sendo a única emissora presente nos circuitos Barra, Campo Grande e Pelourinho.
Na quinta-feira, primeira noite do Carnaval, fiscais da prefeitura de Salvador foram até a plataforma da TVE e questionaram a presença do equipamento alegando que o mesmo poderia prejudicar a circulação de pessoas no local.
Já a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (Sedur) afirmou que a TVE ocupou ilegalmente uma área pública, que serve de rota de fuga para os foliões no Circuito Barra, e por isso foi obrigada pela Secretaria a desobstruir a Rua Dom Marcos Teixeira. E que uma grua estava ocupando dois terços da via de acesso, obstruindo a rota de fuga da Barra.
A Sedur disse ainda que não autorizou a instalação de outra grua da TVE na região do Farol da Barra porque a emissora não apresentou ao órgão a autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan), necessária para a liberação pela Sedur de estruturas que fiquem próximas a patrimônios históricos.
Fonte: Rede Brasil Atual
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.