quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

“Georgina”, de Luiza Amélia ganha reedição

A literatura piauiense tem motivos de sobra para comemorar, afinal, depois de 125 anos, Georgina ou os efeitos do amor, obra máxima da poetisa piauiense Luiza Amélia de Queiroz, foi reeditada e virá a público nas próximas semanas, em Teresina. Os créditos recaem para a equipe do Núcleo de Estudos de Literatura Piauiense (NELIPI), vinculado à Universidade Estadual do Piauí e coordenado pela professora doutora Algemira de Macêdo Mendes.
A reedição, que conta com a organização e a apresentação do parnaibano Daniel Castello Branco Ciarlini e Algemira de Macêdo Mendes, e texto de orelha de Rosana Cássia Kamita, importante nome nos estudos de literatura e gênero do Brasil (UFSC), é um dos mais ousados empreendimentos de resgate das letras piauienses nos últimos tempos. Dividida em cinco cantos que somam mais de 3 mil versos polimétricos, Georgina é, na realidade, uma narrativa em versos, protagonizada por um casal, Acrísio e aquela que dá título à obra. O livro traz ainda um bônus aos leitores: inúmeros outros poemas inéditos da poetisa, publicados no século XIX, quando ela então colaborava para o Almanaque de
Lembranças Luso Brasileiro.
“Georgina, de Luiza Amélia, é de suma importância às letras do Piauí e interessa muitíssimo à historiografia literária de Parnaíba, afinal, foi nessa cidade que a poetisa viveu a maior parte de sua vida e escreveu parte considerável dessa narrativa em versos”, afirmou Daniel Ciarlini, um dos organizadores da reedição.
O projeto gráfico do livro tem a assinatura de Marleide Lins de Albuquerque e ilustração de Jheine A. Cunha.
Fonte: O Piaguí Virtual
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.