quinta-feira, 8 de março de 2018

Jornal O Dia traz edição produzida somente por mulheres

Repórteres, fotógrafas, editoras e fontes. Neste dia 08 de Março, o leitor tem em mão um jornal inteiro feito com a força de trabalho feminina ouvindo outras mulheres sobre os mais diversos assuntos.
Por Maria Clara Estrêla

A edição do Jornal O Dia desta quinta-feira, Dia Internacional da Mulher, é especial. Pensado, escrito, fotografado e editado somente pelas jornalistas que fazem a redação do Sistema O Dia, esta edição tem como mote o protagonismo feminino e propõe, já na sua capa, uma reflexão sobre o lugar que a mulher ocupa na sociedade. 
O dia 08 de março foi oficialmente estabelecido como o Dia Internacional da Mulher a partir da luta de trabalhadoras que reivindicaram igualdade de direitos entre homens e mulheres. No entanto, no Brasil, esta é uma realidade que ainda está longe de ser alcançada. Dados do IBGE, por exemplo, revelam que apesar de estudar mais, a mulher ainda ganha menos que os homens nos mais variados setores.
Foi a partir desta constatação e com o intuito de mostrar que as mulheres podem e já conseguem ser protagonistas nos mais diversos campos sociais, que o Jornal O Dia utilizou somente fontes femininas em suas matérias desta quinta-feira (08). A ideia principal é mostrar que o trabalho desenvolvido por um profissional, seja ele qual for, não deve ser julgado pelo gênero de quem o produziu.
No caderno de Política, por exemplo, a entrevista com a vice-governadora Margarete Coelho e uma matéria especial com a senadora Regina Sousa mostram o papel de destaque que a mulher vem ocupando na política brasileira, embora isso ainda aconteça de forma tímida. No caderno Em Dia, o leitor será apresentado a histórias de empoderamento e protagonismo feminino nas mais diversas áreas, desde a medicina até o trabalho doméstico, onde a mulher também enfrenta suas lutas diárias pelo reconhecimento.
Já no caderno Geral e Polícia estão as histórias de mulheres da área da Segurança Pública, ocupando lugares de destaque nas Polícias Civil e Militar, e os desafios por elas enfrentados no dia a dia para zelar pela vida e pela integridade de outras mulheres. E no Esporte elas também não ficam atrás e demonstram sua força, praticando modalidades que até então eram estigmatizadas como predominantemente masculinas. É o caso do Crossfit, por 
exemplo, ainda recente no Piauí, mas que vem ganhando cada vez mais adeptas.

A gestão pública que tem como líderes figuras femininas também entrou em pauta nesta edição especial do Jornal O Dia
Prefeitas e secretárias eleitas pelo voto lutam a cada dia para conseguirem conquistar seu espaço como representantes de seu povo. São estas as histórias contadas no caderno Municípios. “O jornalismo, por si só, não tende a posicionar a mulher como protagonista da sociedade, exceto quando retratada no caderno de Entretenimento ou na coluna policial, apresentada geralmente como vítima de violência relacionada ao gênero. Por que quando temos um assunto sérios e importante para a sociedade, sempre procuramos os homens como fontes? Temos mulheres capacitadas para analisar a conjuntura em que vivemos, mas elas não são buscadas. Fazer um jornal com fontes femininas e força de trabalho feminina nasceu disso. Para que a gente possa mostrar que sim: a mulher é protagonista e peça fundamental da sociedade em que vivemos”, afirma Adriana Magalhães, editora-chefe do Jornal O Dia.
Grifos do Editor
Fonte: portalodia.com
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.