terça-feira, 10 de abril de 2018

A "Lei Divina e a Consciência", livro de Valdeci Cavalcante

Por *Socorro Brasiliense

No início deste ano quando cheguei da Itália, ganhei um presente de uma amiga, um exemplar do livro “A Lei Divina e a Consciência” de Valdeci Cavalcante. Ela sabia que gosto de ler e do tema. Devorei rapidamente como pão quente com manteiga. Uma linguagem fluída e acadêmica (sem ser cansativa), além de muito interessante. Sem demagogia, o livro tem um profundo trabalho de pesquisa, científico e referenciado, próprio de alguém que sabe do que está falando, não imaginava que o autor pudesse ter tanto conhecimento sobre os segredos espirituais da vida. Nesse percurso literário tive o prazer de viajar por diversas religiões e práticas religiosas, entre elas o Judaísmo, Cristianismo, Islamismo, Hinduísmo, Budismo, e até o Espiritismo e a Maçonaria, com uma riqueza de informações que desconhecia. E mesmo que, modéstia a parte, eu pensasse já ser bastante entendida em alguns desses assuntos, acabei aprendendo coisas especialmente novas, afinal, temos sempre o que aprender. 
Também percebi, por meio da leitura, a profunda ligação do autor com os ensinamentos, experiência, sabedoria e exemplos de seu pai, a amorosa mãe, a forte interação com a família, e a importância da misericórdia e bondade em relação a todos os seres vivos. Em sua narrativa, o autor descreve com muita desenvoltura e conhecimento a vida de importantes cientistas, filósofos e religiosos, como Sigmund Freud, Lúcio Sêneca, Platão, Sócrates, René Descartes, John Locke, Immanuel Kant, entre tantos outros benfeitores da humanidade, como Madre Teresa de Calcutá, Nelson Mandela, Irmã Dulce, Martin Luther King, que desenvolveram ao longo de suas vidas a Consciência Cósmica, em prol da civilização e, em muitos casos, em prejuízo de si a favor do respeito ao próximo. 
Vale a pena conhecer as pequenas histórias dentro da história que compõe o livro e ilustra bem o desejo de repassar para as futuras gerações ensinamentos tão vitais e preciosos. Através desse material, conheci mais sobre a Maçonaria, seus encantos e enigmas, alguns instrumentos de sua simbologia, como o esquadro e o compasso, a letra G, que significa God (Deus em inglês), Geração, Gioia (alegria em italiano), Gravidade, Gnose, todas elas, palavras de significado material e espiritual. Compreendi o trabalho desses indivíduos empreendedores e construtores inspirados em uma tradição muito antiga e discreta, o que me fez pesquisar e encontrar a exímia figura de Hirão-Abi, o Mestre Salvador, que foi morto após recusar-se pela terceira vez a revelar o segredo de um Mestre Maçom, no projeto da construção do Templo de Salomão. Ele é um exemplo de conduta virtuosa, aquela que é capaz de nos transportar desta imperfeita, para perfeita, gloriosa e celestial Loja lá em cima, em que o Supremo Arquiteto do Universo preside. O Mestre Maçom representa um homem salvo do túmulo da iniquidade e ressuscitado para a fé da salvação, mostrando-nos que o homem deve ser digno do elogio de sua Consciência Cósmica.
Na verdade as minhas palavras são um convite e uma singela síntese sobre o ótimo livro “A Lei Divina e a Consciência”, do parnaibano Valdeci Cavalcante. Assim sendo, vocês poderão lê-lo e saborear com prazer como eu fiz.
"Escritora, com trabalhos publicados na Plataforma Cultural do SESC
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.