sábado, 2 de junho de 2018

Chapa proporcional

Por Arimatéia Azevedo

Enquanto seguem os debates sobre a escolha de um vice para Wellington Dias, os partidos aliados do governador querem logo definir a aliança proporcional. Com o PT cada vez mais refratário ao tal chapão, que reuniria em uma única aliança todos partidos na disputa por vagas na Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa, já se anuncia um plano B, que uma ampla coligação unindo todos os partidos da base, exceto a agremiação do governador. O MDB faz suas contas e agora apresenta uma fatura segundo a qual a ampla chapa proporcional representaria eleger três deputados estaduais e um deputado federal além do que seria possível se houver divisão da aliança. Nessa conta, haveria 23 deputados estaduais e sete deputados federais na conta governista, restando à oposição sete vagas na Assembleia e sete na Câmara. A conta, porém, não seduz o PT, que faz outra projeção: a de que sozinho pode eleger até três deputados federais e sete estaduais. São duas contas baseadas em votos que não existem ainda e, portanto, passiveis de erros. Mas tanto PT quanto MDB estão certos de que acertam nas contas. Assim, para a próxima semana, os partidos devem intensificar o debate, com ampla chance de se chegar a lugar nenhum ou ao que já está posto: o PT vai mesmo sair sozinho na disputa por vagas de deputado.
Fonte: Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.