sábado, 16 de junho de 2018

Estratégia ao avesso

Por Arimatéia Azevedo

A oposição tem certeza que existe coesão em torno da candidatura de Wellington Dias ao Governo do Estado e, por isso, precisa de mais candidatos no campo oposicionista para enfrentar o atual governador na disputa de seu quarto mandato. O deputado Robert Rios, candidato ao Senado pelo PDT e, por ora, firmando uma aliança que tem o tucano Luciano Nunes como cabeça de chapa, se reuniu com Dr Pessoa (eventual candidato ao Senado em possível chapa de Elmano Ferrer) e o convidou para se lançar candidato a governador, encimado na hipótese de que ‘quanto mais candidatos de oposição, melhor’. Essa é a chamada estratégia política às avessas, só favorece ao governo. Não se divide para somar o que já está por demais fraturado. Ouvindo-se, por exemplo, o cientista político, professor Pós Doutor Cleber de Deus, um dos mais acreditados na análise política, esse calculo eleitoral esposado por Robert Rios só tira voto deles mesmos porque ao invés de unir os muitos grupos espalhados, separa. Enquanto Wellington já tem sua candidatura consolidada (vista pela própria oposição), os pretensos adversários do governador engatinham em possíveis candidaturas, pois nenhuma está consolidada. A ironia de tudo é que todo esse movimento é para ‘unir o discurso da oposição’. Os articuladores da oposição precisam rever seus conceitos de estratégia política.
Fonte: Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.