quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Maior desafio do novo governo é a previdência, adverte Wellington Dias

Com um déficit de R$ 18 bilhões, o governador Wellington Dias (PT) , que tenta à reeleição, afirmou na manhã desta quarta-feira (22) que a dívida da previdência será o maior desafio para o novo governante que for eleito em 7 de outubro. 
Por Yala Sena
Dias é mais um candidato ao governo do estado entrevistado no Notícia da Manhã na série de sabatina realizada pela TV Cidade Verde.
Ao ser questionado sobre as razões que levaram a tentar um quarto mandato, o governador alegou que está mais experiente, quer desenvolver o estado e que tem "um talento nato que Deus lhe deu para lidar com o coletivo". Segundo ele, o estado está preparado para enfrentar crises como a greve dos caminhoneiros. Dias garantiu que os serviços essenciais funcionaram mesmo durante o caos no país. "Vários estados ruíram e o Piauí ficou de pé", disse o governador. 
O governador afirmou ainda que quer cumprir também uma carta lançada em 2002 que afirmava que em 20 anos era possível tirar o estado da condição de "patinho feio" para uma região desenvolvida. De acordo com o governador, 29 áreas da economia cresceram em seu governo.
Transnordestina
A judicialização atrapalhou o avanço da Transnordestina, segundo o governador. Ele anunciou que as dependências jurídicas foram resolvidas e que têm
empresários interessados na obra.
Educação
Wellington Dias ressaltou as melhorias na educação e disse que levou o ensino superior para mais de 180 municípios. Segundo ele, no quarto mandato quer trabalhar o avanço da pós-graduação.
Segurança
Afirmou que quer trabalhar um novo sistema nacional de segurança para reduzir os índices de criminalidade. Ele lembrou que ao assumir o governo em 2003 existia uma curva crescente de violência e hoje o Piauí tem a melhor posição do Nordeste. "Estou satisfeito? não", disse o governador que defendeu a criação do fundo da segurança.
Previdência
Considerou como grave problema para o estado a previdência social. Segundo ele, o déficit anual era de R$ 1,2 bilhão e caiu para R$ 950 milhões. Segundo Wellington Dias, o déficit acumulado soma-se R$ 18 bilhões. O governador disse que está propondo uma ideia sobre uma fonte de receita para a previdência que pode ser referência para os outros estados. Dias informou que vai participar de um encontro organizado pelo BNDES no Rio de Janeiro para apresentar a proposta do Piauí que poderá ser modelo para o Brasil. 
Flash Yala Sena
Fonte: cidadeverde.com
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.