sábado, 25 de agosto de 2018

Professores e alunos denunciam risco de fechamento de 13 cursos na Uespi

De acordo com a Associação dos Docentes do Ensino Superior da Uespi, 590 disciplinas estão sem professores e 51 cursos estão com o reconhecimento do Ministério da Educação prestes a vencer.
Por: Cícero Portela
Audiência foi realizada pelo Ministério Público nesta sexta-feira (Foto: Ascom MP-PI).
O Ministério Público do Estado do Piauí realizou, na manhã desta sexta-feira (24), uma audiência pública sobre a preocupante situação em que se encontra a Universidade Estadual do Piauí (Uespi). E o promotor de Justiça Fernando Santos anunciou que, caso os problemas não sejam resolvidos, a instituição de ensino superior pode ser obrigada a reduzir o número de vagas ofertadas e encerrar alguns cursos, sobretudo no interior do estado. 
O encontro contou com a presença de representantes da Associação dos Docentes do Ensino Superior da Uespi (Adcesp), do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e do Diretório Central dos Estudantes (DCE). 
Durante a audiência foram relatados vários problemas graves observados atualmente na universidade, como o caso dos cursos denegados - aqueles que
correm o risco de fechar por não possuírem a quantidade mínima de docentes.
Além disso, os professores e estudantes também chamaram atenção para a demora na nomeação dos docentes classificados no último concurso, e pediram apoio ao Ministério Público para cobrar do Governo a convocação de mais profissionais. Conforme dados apresentados pela Adcesp, a Uespi possui, em todos os campi, um total de 13 cursos com risco de fechamento. Um total de 590 disciplinas estão sem professores e 51 cursos estão com o reconhecimento do MEC prestes a vencer. Alguns cursos ofertados pela universidade estadual não possuem a quantidade mínima de professores para que possam funcionar. 
Os estudantes de diversos campi da instituição também chamaram atenção para as deficiências estruturais nos prédios do interior. 
Após a explanação dos dos professores e estudantes, o promotor de Justiça Fernando Santos pediu que a Uespi envie ao Ministério Público, no prazo de 10 dias, um relatório especificando quais cursos estão prejudicados pela falta de docentes, e anunciou outras medidas que serão tomadas pelo MP-PI.
O promotor pedirá uma reunião com o Governo do Estado para buscar a convocação dos classificados no último concurso realizado pela universidade, e também pedida a realização de um novo certame público para este ano.
O promotor finalizou a audiência ressaltando que se os pedidos não forem acatados, o Ministério Público entrará com ação para diminuição das vagas ofertadas na instituição, o que pode implicar no fechamento de alguns cursos, sobretudo no interior do estado. A promotora Gianny Vieira, que também esteve na audiência, ressaltou a importância de levar essa discussão para o meio da sociedade, como forma de encontrar uma solução para os problemas da Uespi.
Campanha nas redes sociais
Nos últimos dias, diversos estudantes da Uespi realizaram uma mobilização nas redes sociais, denunciando os problemas observados na instituição em perfis de famosos do estado, como o humorista Whindersson Nunes e a modela Monalysa Alcântara, miss Brasil 2017. Em comentários nas postagens das celebridades, os universitários pedem que as celebridades piauienses manifestem-se em defesa da instituição e peçam providências ao Governo do Estado.
Fonte: portalodia.ccom
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.