quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Cavalgada da Missão em Aroazes - Índios, africanos e europeus: caldeirão de etnias formaram uma nova sociedade

Rio São Vitor. Você conhece este rio? Segundo pesquisas e o testemunho dos organizadores da Cavalgada da Missão este é o nome original do que hoje conhecemos por Rio Sambito. O nome atual, portanto vem a ser uma corruptela popular de São Vitor, ou seja, ao longo dos anos o nome foi se transformando até chegar ao atual Sambito.
Rio Sambito mantém sua importância desse o período do Brasil Colônia, quando ganhou o nome original de Rio São Vitor
Pois bem, no vale do Rio Sambito habitavam as sete aldeias dos índios da etnia Aroaque. A entrada dos Bandeirantes para a ocupação da região causou o massacre e a quase extinção dos índios da região. Os sobreviventes que habitavam estas sete aldeias, tidos como “pacificados” foram unidos no mesmo povoamento pela ação da Missão Jesuítica liderada pelo Padre Gabriel Malagrida.
Ilustração do Padre Jesuíta Gabriel Malagrida 
Vaqueiros, escravos, índios, europeus
Para ocupar e tornar a colônia produtiva, a coroa portuguesa mandou instalar as primeiras fazendas de gado na região. Daí a necessidade de “catequizar” os índios para formar a mão de obra. Ao longo das décadas o Piauhy transformou-se no principal fornecedor de carne bovina para a colônia. A chegada da mão-de-obra escrava africana nestes séculos veio a ajudar a formação econômica e social de uma nova sociedade cheia de conflitos.
Conhecer esta História é de fundamental importância para que nos reconheçamos enquanto sociedade, para assim enfrentar com clareza nossos dilemas e as dívidas sociais seculares que carregamos, principalmente com os negros e índios. A escola formal pouco sabe e pouco ensina sobre o tema.
Saga dos vaqueiros na Cavalgada das Missões
Nada mais justo que homenagear e valorizar este profissional que desbravou os sertões no trato do gado, enfrentando a caatinga e transformando a economia com os calos das mãos e o suor de seu corpo. São homens de valor que representam um traço marcante de nossa cultura desde os tempos imemoriais do Brasil Colônia até os dias atuais.
Pois a Saga do Vaqueiros que enriquece o momento da Cavalgada da Missão cumpre a função de nos lembrar que, desde sempre, quando a carne chega em nossa mesa vem carregada com a energia destes tão bravos profissionais.
Personalidades apoiam a cavalgada
A Juíza do Trabalho, Liana Ferraz de Carvalho, é também, como várias outras personalidades importantes, uma entusiasta e cavaleira da Cavalgada. Segundo ela: “A Cavalgada da Missão é um evento de significativa importância porque busca resgatar a história do Piauí no contexto econômico, cultural e religioso na época do Brasil Colônia.
Juíza do Trabalho, Liana Ferraz de Carvalho  
Para tanto, estão sendo demandados estudos e pesquisas históricas que evidenciem a real importância da região como caminho de escoamento das riquezas do interior do Brasil rumo ao litoral ,assim como resgatar tradições religiosas e culturais do lugar. A par dessas questões, a Cavalgada da Missão representa uma forma de valorização das tradições do lugar para que permaneçam vivas no imaginário popular, além de desencadear um sentimento de cooperação e pertencimento , através da união de todos em prol desse evento.
Filhos de Aroazes José Antônio, professora e pesquisadora Marta, Everaldo Araújo Cavalcante e, com a camiseta da Missão, o sociólogo Benedito Rubens. Fazem parte da organização do evento e nos forneceram as informações para esta matéria.
CAVALGADA DA MISSÃO
PROGRAMAÇÃO LITÚRGICA
27/09 – Quinta-feira
16:00 – Descida e ornamentação da Imagem de Nossa Senhora
(Ritual de descida e preparação para a celebração da cavalgada da missão)
18:00 – Trasladação da Imagem da Igreja Matriz para a Igreja da missão
18:30 – Abertura da Festa da Cavalgada da Missão
– Terço de Nossa Senhora (terço animado, festivo, preces, ladainha)
– Abertura das barracas com comidas e objetos regionais
28/09 – Sexta-feira
06:00 – Ofício de Nossa senhora
07:00 – Café partilhado (presença das comunidades rurais e locais)
– Todo o dia a Igrejinha ficará aberta para a visitação à Imagem de Nossa senhora e memória histórica da fundação da missão dos Jesuítas.
15:00 – Celebração Eucarística em preparação à trasladação da Imagem
16:00 – Trasladação da Imagem para a Serra da Missão.
17:00 – Subida da imagem de Nossa Senhora da Conceição para o Cruzeiro na Serra da Missão 
– Celebração das Sete dores e sete alegrias de Maria (no percurso da subida celebraremos as dores e alegrias de Maria com homens e mulheres)
(Responsáveis:)
18:00 – Auto da Imaculada (Encenação do Auto da Imaculada) e Vigília das luzes (Ave Maria sertaneja na Serra da Missão
19:00 – Torneio Colonial das Argolas com 20 Cavaleiros. Esporte equestre.
20:00 Palestras científicas e apresentações culturais no Largo da Matriz da Missão dos Aroazes
29/09 – Sábado
06:00 – Descida da Imagem de Nossa Senhora da Serra da Missão.
06:30 – Alvorada e aclamação de Nossa Senhora (cantos, fogos)
07:00 – Celebração da Missa (Investidura)
(Responsáveis: Pe William / Pe Klebert)
08:00 – Benção dos alimentos e café da manhã
(Responsáveis: Pe William)
08:30 – Cavalgada para a Missão dos Aroazes
01 – Encontro de Nossa Senhora com Sant’Ana no portal da cidade
(Responsáveis: Confraria do Divino Espírito Santo de Valença-PI)
02 – Encontro de Nossa Senhora, Sant’Ana e o Divino Espírito Santo 
(Responsáveis: Confraria do Divino Espírito Santo de Valença-PI)
03 – Hasteamento das Bandeiras (Hinos do Município e da Padroeira)
Responsáveis:
04 – Investidura dos 12 Cavaleiros e aclamação da Legião dos Cavaleiros da Missão.
05 – Canto do Hino da Legião dos Cavaleiros da Missão. (Proclamação do Hino da Legião dos Cavaleiros)
11:30 – Benção Solene dos Cavaleiros, vaqueiros e cavalos.
(Responsáveis: Pe Klebert e Pe William)
12:00 – Benção final.
Fonte: 180graus,com
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.