sexta-feira, 21 de setembro de 2018

O grito pelo socorro

É um verdadeiro absurdo o que está acontecendo na rica região de Uruçuí, nos cerrados do Piauí.
Por Arimatéia Azevedo

Onde um percentual altíssimo de mulheres está sendo vítima da interrupção brusca da gestação, pelo contato, manuseio e até mesmo inalação de veneno usado pelas grandes empresas para agricultura. 
Tudo tem uma explicação, que é a causa da justa aflição das mães dos cerrados, pelo uso de agrotóxico glifosato indiscriminado que faz por onde haja uma incidência muito grande de abortos que correspondem a quase 25% do total das mulheres grávidas. Como se não bastasse esse dado tem-se, também, uma incidência altíssima de quase 85% de mulheres que são impedidas de amamentar pela contaminação no leite materno. Um crime, que, mesmo aos olhos das autoridades, não está sendo combatido. E, para completar, esse envenenamento coletivo tem gerado má formação e a redução de peso de quase 15% das crianças, o dobro da média nacional. Essa
situação exige que as autoridades do setor, o meio ambiente e a saúde, tomem medidas efetivas e urgentes para evitar que o mal se alastre e que não haja a perda ou comprometimento da saúde de toda uma geração. Pelo que se vê, existe uma clara omissão das autoridades do setor. Se houvesse a mínima atenção, na verdade, nada disso deveria estar acontecendo. O que se espera é que esse grito de socorro seja ouvido nos gabinetes de onde deve partir uma solução urgente.
Grifos do Editor
Fonte: Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.