domingo, 2 de setembro de 2018

Projeto cofinanciado pela União Europeia - UE - propõe mapear casos de violência doméstica em Parnaíba

O protótipo será lançado em outubro deste ano. Da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) sairá, em breve, um pioneiro projeto que se somará às políticas de enfrentamento à violência doméstica no município de Parnaíba, litoral piauiense.
Por Wanderson Camêlo
Rodrigo Baluz, ao fundo, acompanhado aos demais envolvidos no projeto (Foto: Divulgação)
Da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) sairá, em breve, um pioneiro projeto que se somará às políticas de enfrentamento à violência doméstica no município de Parnaíba, litoral piauiense. Alunos do curso de Computação, sob a orientação do professor Dr. Rodrigo Baluz, ainda estão debruçados no desenvolvimento do protótipo, que tem lançamento marcado para o mês de outubro, logo depois do período eleitoral.
Trata-se de uma plataforma virtual (site) que, concluída, se tornará numa espécie de cadastro geral contendo informações que irão garantir, por exemplo, a rápida consulta do histórico de acompanhamento e serviços prestados às vítimas de violência doméstica.
A plataforma possibilitará a gestão integrada dos casos de violência doméstica nas esferas da saúde, da segurança pública e da assistência social. As ocorrências serão mapeadas e divididas por faixa etária, escolaridade, tipo de
violência, regiões e outros. 
“O primeiro objetivo é contribuir com as entidades que lidam com a violência doméstica, especificamente na cidade de Parnaíba, quanto à unificação de um banco de dados dos relatos de violência. Então, a partir do desenvolvimento dessa aplicação, as entidades da saúde pública, segurança pública e assistência social passam a ter todas essas informações em um único lugar e com acesso único para todas essas entidades”, ressalta Rodrigo.
Os dados serão compartilhados com uma rede protetiva das vítimas de violência composta por um sistema integrado formado também por organizações sociais. A população também poderá ter acesso.
“O segundo objetivo, que está mais ligado à sociedade parnaibana, é a consolidação desses dados por meio de mapas temáticos e gráficos. Nós vamos mapear todos os registros de ocorrência na plataforma em cima do mapa georreferenciado da cidade de Parnaíba e, com isso, vamos disponibilizar à sociedade parnaibana que elas possam ter acesso à quantidade de registros e ocorrências em determinados bairros”, acrescenta Baluz. 
O Núcleo de Enfrentamento à Violência Doméstica de Parnaíba (NEV), cofinanciado pela União Europeia, é o idealizador do projeto, que vem sendo desenvolvido há 1 ano, dentro do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação da Universidade Estadual do Piauí – PIBITI/Uespi. “É o que a gente chama de pesquisa aplicada; tentar trazer, através da pesquisa, uma ferramenta, um produto, impacte diretamente na sociedade”, explicou o professor.
A gestora operacional do setor de Cooperação da UE, Maria Cristina Araújo Von Holstein Rathlou, visitou recentemente a sede do NEV para verificar as atividades desenvolvidas, conhecer os parceiros e a equipe de trabalho do órgão.
Maria Cristina, ao centro, durante visita técnica na Uespi (Foto: Divulgação)
O que se entende por violência doméstica
É todo tipo de violência praticada entre os homens que habitam um ambiente familiar em comum. Pode acontecer entre pessoas com laços de sangue (como pais e filhos), ou unidas de forma civil (como marido e esposa ou genro e sogra). A violência doméstica pode ser subdividida em violência física; psicológica; sexual, patrimonial e moral. Também é considerada violência doméstica o abuso sexual de uma criança e maus tratos em relação a idosos. No Brasil, a violência doméstica é um problema enfrentado predominantemente pelas mulheres.
Fonte: Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.