sábado, 13 de outubro de 2018

ONU ELEGE NOVOS MEMBROS DO CONSELHO DE DIREITOS HUMANOS

Argentina, Uruguai, Áustria, Bahamas, Bahrein, Bangladesh, Bulgária, Burkina Faso, Camarões, República Tcheca, Dinamarca, Eritreia, Fiji, Índia, Itália, Filipinas, Somália e Togo foram eleitos nesta sexta-feira (12) para integrar o Conselho de Direitos Humanos da ONU.
Por Brasil 247, com Prensa Latina

Estes 18 novos membros, eleitos pela Assembleia Geral das Nações Unidas, começarão seus mandatos de três anos a partir de 1º de janeiro de 2019. A Índia foi o país que obteve mais votos, com 188. No total, 18 Estados membros apresentaram suas candidaturas para as 18 vagas nesse organismo das Nações Unidas com sede em Genebra, Suíça.
Segundo a porta-voz da presidenta da Assembleia Geral, Mônica Grayley, havia cinco cadeiras para o Grupo de Estados da África, e se agruparam os Estados da Ásia e do Pacífico, cada um com um posto.
Igualmente, estavam à disposição duas vagas para os Estados da Europa Oriental. O Grupo da América Latina e Caribe tinha três cadeiras a ocupar, assim
como o Grupo de Estados da Europa Ocidental e outros Estados, também com três vagas. A representante permanente dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, que em junho anunciou a saída deste país do Conselho de Direitos Humanos, criticou a eleição de alguns dos novos países membros.
Na sua opinião, países com maus registros em matéria de direitos humanos concorreram sem oposição nestas eleições e esta falta de padrões demonstra mais uma vez por que os Estados Unidos 'tinham razão' ao retirar-se do organismo, justificou.
Apesar disso, os Estados Unidos continuarão 'sendo o líder mundial dos direitos humanos, independentemente da composição suspeita e das más decisões do Conselho de Direitos Humanos', assinalou a embaixadora.
Contrariamente às considerações de Haley, a comunidade internacional criticou a postura dos Estados Unidos em temas como os direitos dos migrantes e seu interesse em impulsionar políticas de intervenção e mudança de regime em países soberanos, entre outras ações de ingerência e bélicas.
O Conselho de Direitos Humanos, criado pela Assembleia Geral em 2006, é o principal organismo da ONU encarregado de fortalecer a promoção e a proteção dos direitos humanos e das liberdades fundamentais.
A ex-presidenta chilena, Michelle Bachelet, é na atualidade a alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos.
Fonte: Brasil 247
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.