sábado, 20 de outubro de 2018

PF abre inquérito para investigar o uso de notícias falsas na eleição

A apuração, solicitada pela Procuradoria Geral da República, mira as empresas de tecnologia suspeitas de disseminar conteúdos de forma "estruturada".
Por Redação/CartaCapital 
Milhares de notícias falsas circularam pelas redes/Allan White/Fotos Públicas
Raul Jugmann, ministro da Segurança, confirmou neste sábado 20 que a Polícia Federal abriu um inquérito para investigar a disseminação de notícias falsas, principalmente pelas redes sociais, contra os candidatos à presidência da República.
O inquérito, solicitado pela procuradora-geral da Repúblicas, Raquel Dodge, vai apurar os casos de empresas de tecnologia da informação suspeitas de espalhar, de forma "estruturada", mensagens falsas sobre os candidatos que disputam o segundo turno das eleições presidenciais. O inquérito será conduzido pela Diretoria de Combate ao Crime Organizado.
"É uma nova realidade mundial, que exige investigação com a utilização de um corpo pericial altamente gabaritado e equipamentos adequados, para se identificar a autoria e materializar a ocorrência desse novo formato de crime, recentemente introduzido na legislação brasileira, de alta potencialidade lesiva", afirma no pedido a procuradora.
Dodge afirma ainda que a situação também exige apuração na "ótica criminal". Segundo a procuradora, o uso especializado e estruturado de logística empresarial para a divulgação em massa de informações falsas é crime previsto na legislação eleitoral.
Fonte: CartaCapital
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.