sábado, 20 de outubro de 2018

Piauí 196 anos, nossa origem, nossa história

São muitos os fatores que contribuem para nomear um município, dentre eles a ingerência política, religiosidade, culto a antepassados e um acidente geográfico.
Por Marco Antônio Vilarinho - Jornal O Dia
Alcides Nascimento lembra que nem sempre há apenas uma versão do fato. (Fotos: Poliana Oliveira/ODIA)
De um caldeirão de possibilidades, que pode estar relacio­nado à política, à religiosidade, ao tradicionalismo e a outras realidades, segundo o historiador Alcides Nascimento, pode ter originado o nome dos municípios piauienses, ressaltando que o assunto alcança uma amplitude bem maior à já mencio­nada por alguns curiosos ou mesmo escritores – na ânsia de desvendar esse universo diverso, cheio de indagações e ver­sões. Um lago, um santo protetor dos primeiros habitantes, um político – de alguma forma relacionado ao local -, refe­rências a antepassados e à distante colonização: tudo isso são motivos que levam ao “batizado” de uma localidade, de um povoado etc.
Entretanto, Alcides Nascimento deixa claro ao observar que, embora alguns desses topônimos (nome ou expressão usados para nomear um lugar) tenham sua origem bem divul­gada, e até tida como verdadeira, seria necessário um estudo bem mais aprofundados para dirimir dúvidas, para se chegar a uma conclusão precisa. Seria necessário conhecimento mais vesticalizado, no sentido de que esses dados sejam providos de consistência. Ele lembra que em muitas situações a trans­missão oral termina por camuflar a verdadeira história, talvez já esquecida pela ausência de documentos que a comprovem, daí preferir utilizar a expressão “uma das versões...”.
“Poderíamos citar, como exemplo, o nome de nossa capital, Teresina. No livro do jornalista Arimatéia Tito Filho, “Tere­sina, Meu Amor”, é citado que Teresina é homenagem à im­peratriz Teresa Cristina, esposa do imperador Dom Pedro II: seria “Teres” de Teresa, e “ina de Cristina. “Esta é a versão mais difundida, vamos dizer assim, pois não é a única, portanto é sempre sensato não incorrer no risco de fazer uma afirmação. Saraiva, quando veio se instalar na nova capital, em documento encaminhado a Dom Pedro II, registra o fato de já estar na nova capital que passa a se chamar Teresina. Há uma versão sobre ser Teresina homenagem a uma jovem italiana de mesmo nome. Mas o melhor é nunca afirmar quando não se tem conhecimen­to aprofundado sobre o fato”, ressalta o historiador. 
Fonte: portalodia.com
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.