domingo, 21 de outubro de 2018

Porto Sem Barcas

Por Sousa Filho
Parto rumo a um porto sem barcas
Meus pensamentos embarcam numa viagem no tempo
Relembrando a plenitude do rio “que envolve e que embala”.
Mas onde está o rio?
Onde estão as barcas?
Como navegariam Nuno e Jessé, num porto sem barcas?
Como viveriam Luiza e Cremilda sem as barcas da beira do cais, que outrora singravam tuas águas?
Oh! O que fizeram contigo, finado Igaraçu?
De que vale o nome que te deram?
Onde estão tuas barcas?
O que fizeram contigo, finado Porto sem barcas?
Fonte: O Piaguí Virtual
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.