terça-feira, 11 de dezembro de 2018

'Situação “delicada', informa Cepisa ao lançar programa de demissão de servidores

O objetivo da medida é tornar “a Cepisa economicamente sustentável”, informou a companhia.
Por *Redação do Portal AZ
Nonato Castro (Foto: Divulgação/Cepisa)
A Cepisa anunciou, nesta segunda-feira (10), a abertura de um programa de demissão voluntária (PDV) destinada aos empregados efetivos do órgão, agora comandado pela empresa Equatorial Energia. O objetivo da medida é tornar a Cepisa "economicamente sustentável”, informou a companhia.
De acordo com o presidente da Cepisa, Nonato Castro, a empresa se encontra em uma situação econômica delicada, com dívidas elevadas acumuladas ao longo dos anos e, por isso é preciso reverter esse cenário crítico para se tornar economicamente viável e assim cumprir com a missão de fornecer energia de qualidade a todos os piauienses.
A Cepisa informou em nota que possui atualmente uma dívida acumulada de R$ 2,5 bilhões e déficit de R$ 200 milhões na comparação com o limite máximo para as despesas operacionais com pessoal, material, serviços, demais despesas e provisões, estabelecidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “O
Programa de Demissão Voluntária é uma forma de oportunizar aos profissionais que, por anos, desempenharam serviços na Cepisa e, hoje, demonstram
interesse em realizar uma transição de carreira ou mesmo de encerrar um ciclo de trabalho, como pude perceber durante as conversas com colaboradores da capital e do interior”, fundamenta Castro.
O colaborador que aderir ao Programa de Demissão Voluntária terá direito de receber todas as verbas rescisórias legais previstas na modalidade de “Demissão Sem Justa Causa”, que são: aviso prévio indenizado; férias vencidas e proporcionais; gratificação de férias; 13º salário proporcional; multa rescisória de 40% do FGTS e saldo de salários, bem como poderá sacar o seu saldo de FGTS junto à Caixa Econômica. 
A companhia esclareceu ainda que, a cada ano completo de trabalho, o colaborador tem direito a um adicional de três dias de aviso prévio, sendo esse limitado a 90 (noventa) dias. Adicionalmente, o colaborador receberá uma Indenização Financeira de 15% do salário base, por cada ano completo de serviço, limitada a cinco salários base.
O Sindicato dos Urbantários do Piauí, entidade que representa os trabalhadores da Cepisa, informou que espera ainda resposta da instituição, sobre a possibilidade da realização de uma reunião, para tratar sobre o programa de demissão. "Ela não respondeu o ofício ainda para a realização da reunião. Nós estamos sem diálogo com a empresa, nosso diálogo está sendo através da imprensa, através da Justiça.", disse Paulo Sampaio, presidente do Sindicato dos Urbantários, ao Portal AZ.
Paulo Sampaio, presidente do Sindicato dos Urbantários (Foto: Reprodução)
O objetivo da entidade é incluir no PDV dois pontos: plano de saúde e de previdência privada aos servidores. "Queremos incluir nesse plano de desligamento a questão do plano de saúde, porque sabemos que um plano individual é muito elevado e nem todo mundo pode fazer, e, principalmente [a inclusão] do plano de Previdência", destacou o presidente da entidade sindical.
*Com informações da assessoria de comunicação da Cepisa.
Fonte: Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.