sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Promotora rebate artigo de professor: 'Devemos entender que a mulher usa a roupa que ela quiser!'

Com frases de tom misógino, o artigo foi publicado na parte de opinião do jornal Diário do Povo.
Por Redação do Portal AZ
Professor José Maria Vasconcelos (Foto: reprodução Facebook)
Um artigo publicado na edição desta sexta-feira (25), no Jornal Diário do Povo, pelo professor José Maria Vasconcelos, trouxe à tona um debate bastante polêmico: o comportamento das mulheres e as agressões sofridas por elas. Com frases de tom misógino, o artigo foi publicado na parte de opinião do jornal.
Com texto original intitulado “O pudor da mulher atrai o respeito do homem”, o professor aposentado do Instituto Federal do Piauí (Ifpi) afirma que “Homens, comumente, só avançam se elas abrirem as pernas”. Além do mais ele sugere que as delegacias da mulher sejam fechadas e que sejam providenciadas condutas de pudor feminino para que as mesmas não sejam atacadas.
Artigo publicado nesta sexta-feira (25) no jornal Diário do Povo (Foto: reprodução)
Frases como “Homens, em geral, não avançam na mulher pudorosa, preservada e decentemente ajuizada”, ganharam grande repercussão através dos aplicativos de mensagem e ocasionou uma manifestação de repúdio online,  assinado pelas mulheres piauienses.
Ao Portal AZ, o editor-chefe do Diário do Povo Luciano Coelho, reconheceu que não leu o artigo antes da publicação, pois o professor José Maria Vasconcelos já é colaborador rotineiro do jornal.
“O artigo é de responsabilidade de quem escreve e quem assina, o jornal não faz censura prévia a nenhuma publicação e eu confesso que eu não li antes da publicação. Acho que em alguns pontos ele foi excessivo, mas daí a dizer, como já recebi ligações de algumas mulheres e outros jornalistas, que ele está fazendo apologia ao estupro e a violência contra mulher acho que é um pouco de excesso. Mas o artigo do professor José Maria Vasconcelos não representa a posição do jornal, é particular dele. Nós vamos no manifestar a respeito dessa situação inclusive para justificar isso, pois não concordamos com boa parte do que está escrito lá, mas é a opinião de um articulista”, explica.
Publicação no Instagram do empresário Danilo Damásio (Fotos: reprodução)
O empresário Danilo Damásio também acabou se envolvendo da polêmica ao compartilhar nas suas redes sociais o artigo e classifica-lo como excelente artigo. A filha do empresário, Gabriela Ximenes, respondeu a postagem afirmando que ver o texto elogiado e compartilhado pelo seu pai “doeu mais que um tapa na cara”.
Repúdio
Ainda nesta sexta-feira (25), o Núcleo de Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUPEVID), do Ministério Público do Piauí (MP-PI), também lançou Nota Pública de Repúdio sobre o Artigo com o título “O Pudor atrai o respeito do homem”, publicado nesta sexta-feira (25), no Jornal Diário do Povo, de autoria do cronista José Maria Vasconcelos, professor aposentado do Instituto Federal do Piauí (Ifpi).
A promotora de Justiça Amparo Paz, que é titular da 10ª Promotoria de Justiça e coordenadora do Nupevid, lamentou o fato, por meio da Nota, e registrou sua preocupação, afirmando ser um desrespeito aos Direitos Humanos das Mulheres. Confira a nota pública de repúdio na íntegra:
NOTA DE REPÚDIO – NUPEVID/MPPI
Em nome do Núcleo de Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUPEVID), do Ministério Público do Piauí (MP-PI), venho a público REPUDIAR de forma veemente o Artigo com o título “O Pudor atrai o respeito do homem”, publicado, nesta sexta-feira (25), no Jornal Diário do Povo, de autoria do Sr. José Maria Vasconcelos.
Nós lamentamos este fato e registramos nossa preocupação com o reiterado desrespeito aos Direitos Humanos das Mulheres, principalmente, quando vem ao caso de expor a nós, mulheres, fatores de culpabilização por causa de sua vestimenta, por meio de atos desrespeitosos, violentos e injustificáveis, diante dos inúmeros preconceitos que a cultura machista e a cultura do estupro impõe à imagem feminina, e, pior, pensamentos que podem levar aos atos de violência e assédio sexual ocorridos contra milhares de mulheres.
Esse conceito de culpar a mulher é cultural e lamentável. Tabu totalmente errôneo de que roupas e mulheres são culpadas pelos assédios que sofrem diariamente ou até mesmo pela falta de interesse de um homem por uma mulher "sem pudor". Da mesma forma que alertamos sempre para o fato de que o estupro também está atrelado à cultura não significa diminuir a culpa dos estupradores para saírem impunes. Pois, mulheres são estupradas independente de vestimentas. Roupas não podem interferir em nada na liberdade feminina, muito menos impor sentimento de culpa na vítima. A culpa é sempre do agressor!
Encerramos nosso repúdio a esse artigo, dizendo que PUDOR se resume ao respeito entre ambos os sexos, que homens não devem em possibilidade alguma “avançar” em mulher nenhuma e sim tratar TODAS com respeito e respeitando seus direitos e escolhas. A vida ou roupa de uma mulher não se resumem à intenção de conquistar ou exibir-se para um homem. Devemos entender que a mulher usa a roupa que ela quiser! Isso não define seu caráter e muito menos ela está pedindo para ser abusada ou assediada por ninguém!
Amparo Paz – titular da 10ª Promotoria de Justiça e Coordenadora do NUPEVID. 
Outro órgão a se manifestar foi a Defensoria Público do Estado do Piauí, que por meio de nota considerou o texto repleto de "sexismo e machismo, procurando justicar sem qualquer base empírica o comportamento criminoso de agressores de mulheres".

Professor exclui publicação no Facebook

O professor José Maria Vasconcelos também havia postado o artigo em seu perfil no Facebook, porém, diante da repecurssão negativa ele decidiu retirar e postou logo em seguida a seguinte publicação:
Foto: reprodução Facebook
Fonte: Portal Az
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.