terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Podridão nas redes sociais

Por *Arimatéia Azevedo do Portal AZ

A falta de pudor e de limites parece que encontra eco nas redes sociais, e as surpresas (ou decepções) se somam em velocidade galopante. Por isto que os prints divulgados, ontem, nas redes sociais, logo ganharam trepidante e a avassaladora repercussão, até porque tratam de conversas nada republicanas, que envolvem, inclusive, influentes agentes públicos, e colocam em xeque as principais autoridades do Piauí. Os recados nada enigmáticos e a troca de favores e negócios jogados por baixo das conversas de WhatsApp são no mesmo nível das sujeiras jogadas por debaixo dos tapetes de gabinetes, daí porque é de se esperar que tudo possa ser mesmo verdade, caso não se comprove tratar-se de fake news. É que correm em todas as redes sociais supostos diálogos entre secretário de estado, jornalistas, apresentadores e assessores de órgãos públicos em que a conversa entre eles ultrapassa a civilidade e ganha contornos de prática de negócios cabulosos e até mesmo
extorsão para calar grupo de WhatsApp. Um dos citados, o coordenador de comunicação, João Rodrigues, se encaminhava ontem à delegacia para fazer o registro num Boletim de Ocorrência e solicitou imediata e rigorosa apuração. As conversas mencionam até delegado da Polícia Federal e envolvem todo tipo de assunto, desde o financeiro, com cobrança de vantagens e de suposta propina, sobre ordem mandando atacar autoridade; fala de tratativas que descambam para o campo pessoal. O rol dos citados chega ao Tribunal de Justiça, e desembargadores são citados como corruptos vendedores de sentença, com direito a operadores de negócios, e até mesmo há esposas atingidas em suas honras. As conversas divulgadas são escabrosas, no limite do inimaginável, mas oferecem ao Ministério Público e à justiça a motivação definitiva e o momento de passar o Estado a limpo e interromper o binômio promíscuo entre o poder e a mídia, principalmente a dita mídia social que se acha imune à justiça, ou que supõe controlar a própria justiça. Ou se escancara a verdade e se coloca os pingos nos ‘is’ ou vai ficar sempre a impressão de que até mesmo a divulgação desses prints faz parte de estranho e perigoso jogo de caça ao dinheiro público.
*Irreverente, verdadeira e sem cortes. A principal coluna política do Piauí, que não se prende a pauta do dia a dia.
Fonte: Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.