segunda-feira, 18 de março de 2019

Em greve, professores fecham a Uespi e governador diz que é impossível conceder reajuste

Governador afirmou que o Estado ultrapassou limite da LRF. 
Por Lucas Sousa
Foto: Adcesp
O governador Wellington Dias comentou nesta segunda-feira (18), sobre a greve deflagrada pelos professores da Universidade Estadual do Piauí.
O chefe do executivo estadual informou que é impossível atender a reivindicação dos docentes da instituição no momento em que o Estado ultrapassou o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que
controla os gastos do Estado com a folha de pagamento de servidores.
Foto: Lucas Sousa
“O apelo que eu fiz aos professores é que compreendam que temos a lei de responsabilidade fiscal e em razão dessa queda de receitas, o Estado terminou saindo do limite, foi para 48%, adotei medidas para retornar à normalidade e enquanto isso não acontece não é possível qualquer reajuste, chamar concursado, porque tudo isso é despesa de pessoal, todo empenho é para garantir salário em dia, não é razoável uma greve pedindo que o Estado cometa ilegalidade”, declarou.
Os professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) iniciaram uma greve por tempo indeterminado nesta segunda-feira (18). A categoria reivindica o cumprimento do plano de cargos, carreiras e salários (PCCS), que implica na implantação imediata de progressões, promoções, e mudanças de regime de trabalho.
Foto: Adcesp
Segundo a Associação dos Docentes da Uespi (Adcesp), somente neste semestre são 300 disciplinas sem professores, enquanto existem 26 classificados sem nomeação. 
Os campi de Floriano, Picos, São Raimundo Nonato, Oeiras, Parnaíba, Piripiri e Campo Maior já aderiram à paralisação total.
Fonte:`Portal AZ
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.