sexta-feira, 22 de março de 2019

MAIA LAVA AS MÃOS: BOLSONARO É QUEM TEM QUE CONSTRUIR MAIORIA

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que a responsabilidade por conquistar votos para a reforma da Previdência, a partir de agora, será do presidente Jair Bolsonaro e não mais do parlamentar; "E concordo com o presidente [Bolsonaro]: é preciso construir uma maioria de uma nova forma. Essa responsabilidade é dele", disse; declaração incisiva ocorre após Maia protagonizar desentendimento com o ministro Sérgio Moro, a quem chamou de "funcionário de Bolsonaro".
Por Brasil 247

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ, afirmou na quinta (21) em um telefonema ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que a responsabilidade por conquistar votos para a reforma da Previdência, a partir de agora, será do presidente Jair Bolsonaro e não mais do parlamentar.
"Eu continuo ajudando. Sei que a reforma da Previdência é fundamental e não
abro mão dela", afirmou o congressista. "E concordo com o presidente [Bolsonaro]: é preciso construir uma maioria de uma nova forma. Essa responsabilidade é dele", continuou. Os relatos foram publicados na coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo.
Parlamentares se queixam de falta de diálogo com o Planalto. "Quando ele [Bolsonaro] tiver a maioria e achar que é a hora de votar a reforma, ele me avisa e eu pauto para votação. E digo com quantos votos posso colaborar", acrescentou Maia.
Declaração ocorre após o presidente da Câmara ter protagonizado desentendimento com o ministro Sérgio Moro, que cobrou-o pela tramitação do seu pacote anti-crime. Irritado, Maia disse que Moro era "funcionário de Jair Bolsonaro" e que seu projeto era um "copia e cola" da proposta apresentada pelo ex-ministro da Justiça e atual ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes (leia mais). 

Fonte: Brasil 247
Edição; Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.