quarta-feira, 24 de abril de 2019

A angústia no trânsito

Por *Arimatéia Azevedo

O governador Wellington Dias é quem mais apanha e, sabe Deus lá, quantos não xingam a senhora sua mãe, por conta daquele descalabro, da pouca vergonha em que se transformaram os dois trechos de acesso a Teresina, através das BRs 316 e 343, principalmente na 316, onde, por galhofa, por escárnio, já chegaram a fazer plantações no leito da rodovia aproveitando as crateras abertas pela falta de manutenção. O governo, pela voz do diretor do DER, Castro Neto, vive fazendo promessas de reconstrução das BRs, mas tudo não passa de mentira, enrolação e o povo cada vez mais aumenta o grau de irritação. Se a pessoa vem de Floriano, numa viagem normal que dura três horas, ela passa mais de quatro horas somente nesse trecho de nove quilômetros da BR-316. Até o desvio feito pelo anel viário, nessas horas, leva o sujeito a outra arapuca, porque o lado da BR 343 também está abandonado. A duplicação das entradas de Teresina foi
iniciada no governo Wilson Martins, a partir de 2015, com recursos emprestados junto ao BNDES, sob pretexto de que a licitação via Dnit seria mais demorada, em função da burocracia. Tudo que se pode investir ficou apenas na terraplanagem, por falta de mais recursos então, já que não tem dinheiro para as obras, e a fim de minorar o sofrimento e a humilhação de quem trafega por esses locais, o governador poderia determinar que policiais do Batalhão de trânsito organizassem o trânsito, respeitando o fluxo e contra fluxo de carros. Formam-se quilométricas filas com as pessoas feitas baratas tontas porque não tem um policial para orienta-las. E não venham dizer que aquilo é ação da Polícia Rodoviária Federal, porque não é. O trecho é da responsabilidade do governo do Estado.
*Irreverente, verdadeira e sem cortes. A principal coluna política do Piauí, que não se prende a pauta do dia a dia.
Fonte: Portal Az
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.