terça-feira, 7 de maio de 2019

Com bloqueio, UFPI demitirá 40% dos terceirizados e pode não terminar ano letivo

O reitor da Universidade Federal do Piauí, José Arimateia Dantas, disse que caso o bloqueio de 30% do orçamento geral da instituição  seja concretizado pelo Ministério da Educação, como anunciado anteriormente, a universidade não conseguirá terminar o ano letivo.
Por Caroline Oliveira 
Foto: Catarina Malheiros/Cidadeverde.com
Os cortes afetariam os cinco programas do orçamento de R$ 110 milhões anuais da UFPI, mas principalmente o responsável pelo custeio, onde chegaria a 41%. Esse recurso é responsável pelos pagamentos do fornecimento de energia, água, esgoto, internet, coleta de lixo, mão de obra e material de expediente, laboratório, transporte, etc.
"Estamos fechando maio e nós tínhamos R$ 40 milhões que vão ficar R$ 12,4 milhões, se esse bloqueio de 30% seja mantido. É algo reversível, já tivemos outros, mas nunca deste montante. Estamos aflitos, por conta de não ter tido diálogo e acreditamos que possa ser revertido. Por isso queremos o apoio da comunidade acadêmica, da imprensa, dos parlamentares e egressos e tem que ser uma ação conjunta para o povo brasileiro. É um 
bloqueio que não é definitivo e esperamos que ele não se transforme em corte", afirmou o reitor, que participará de uma reunião em Brasília na tarde desta terça-feira(07).
No entanto, José Arimatéia informou ainda que algumas medidas foram tomadas já para o mês de maio. "Não renovaremos a telefonia celular institucional, suspendemos as viagens em congressos, eventos para estudantes e priorizar as aulas. Também terá um corte de 40% do pessoal terceirizado", destacou. 
O reitor completa. "O que acontecerá é que se, esse bloqueio não for revertido, ficará inviável o funcionamento da universidade como um todo, não vamos tratar separadamente nenhum campus, se faltar recurso será para todo mundo, se esse bloqueio acontecer, não vai dar para a universidade chegar ao fim do ano", afirmou.
A universidade federal do Piauí tem cinco campi, 84 cursos de graduação, 15 de educação à distância, cinco do PAFOR, com 39.640 estudantes, 1.051 professores doutores e 576 mestres. 
Fonte: cidadeverde.com
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.