domingo, 26 de maio de 2019

DILMA: LAVA JATO COMETEU CRIME CONTRA A PÁTRIA

Durante participação no 3° Encontro com assinantes e membros do 247 neste sábado (25) em Porto Alegre, a ex-presidente Dilma Rousseff fez um diagnóstico histórico da situação do País; Dilma analisou as causas do golpe, falou de seu componente misógino, disse que Paulo Guedes preocupa mais do que Jair Bolsonaro e afirmou que a Lava Jato cometeu um "crime contra a pátria" brasileira; "Ninguém sem projeto de poder quer uma fundação de R$ 2,5 bilhões. Ela foi dada em troca do conhecimento interno sobre todas as questões relativas à Petrobrás. Entregar segredos da Petrobras contra um caixa de R$ 2,5 bilhões é um crime contra a pátria", disse Dilma.
Por Brasil 247

O Brasil 247 realizou neste sábado, 25, em Porto Alegre, o terceiro encontro com assinantes e membros da TV 247. O evento contou a participação dos editores do 247 Leonardo Attuch, Gisele Federicce, Leonardo Stoppa e Gustavo Conde, teve extensa programação com palestras de convidados e diálogos os participantes. Todo o evento foi transmitido ao vivo pela TV 247 no Youtube. 
O ponto mais alto do encontro foi a participação da ex-presidente Dilma Rousseff, que fez um diagnóstico preciso sobre os fatores que sustentaram o golpe de 2016 que a retirou da Presidência sem comprovação de crime de responsabilidade.
Para Dilma, o motivo principal das operações que levaram à sua derrubada e à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o controle sobre o petróleo brasileiro. Neste contexto, a operação Lava Jato exerceu papel fundamental e tem um projeto claro de poder, na visão da presidente deposta.
"Ninguém sem projeto de poder quer uma fundação de R$ 2,5 bilhões. Ela foi dada em troca do conhecimento interno sobre todas as questões relativas à Petrobrás. Saber onde se localiza os campos, onde estão as pesquisas, etc. Se isso é dado ao Departamento de Justiça americano, 2,5 bilhões é peanuts. Porque a Petrobrás, de caixa, mesmo quando diziam que ela estava quebrada, não faziam menos de R$ 26 bi de caixa livre. Entregar segredos da Petrobras contra um caixa de R$ 2,5 bilhões é um crime contra a pátria", disse Dilma.
A líder petista fez duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro. Criticou o desmonte da política de subsídios no programa Minha Casa Minha Vida, os ataques os trabalhadores e seus representantes sindicais, defendeu o financiamento da agricultura e falou da importância de defender a reforma da Previdência.
"Eu penso menos na loucura do Bolsonaro e mais na do Gudes. Até porque eu acho ela mais ameaçadora", disse Dilma. "Na prática, o que está acontecendo é similar ao que acontece na Previdência. Não é só tirar direitos, mas pegar a grande poupança nacional e botar a mão financeiramente neste dinheiro. É o sistema de capitalização", disse ela.
Além da ex-presidente Dilma Rousseff, também participaram do encontro do 247com membros e assinantes em Porto Alegre o deputado Henrique Fontana (PT) e o chargista Carlos Latuff. A deputada Maria do Rosário debateu sobre como enfrentar o fascismo com a psicanalista Amnéris Maroni (professora-doutora da Unicamp) e o linguista Gustavo Conde. 
Leonardo Stoppa entrevistou o deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, sobre a resistência ao bolsonarismo no Congresso, enquanto o ex-ministro Miguel Rossetto, o advogado Pedro Ruas, diretora sindical do setor petroleiro Miriam Cabreira falaram sobre o ataque aos trabalhadores e a defesa da Petrobrás. 
Para se tornar um assinante solidário, que é a melhor maneira de apoiar financeiramente o 247, basta entrar em brasil247.com/apoio e escolher um valor fixo ou único para doar. 
Para se tornar um membro da TV 247 no Youtube, bastar entrar no canal e clicar em Seja Membro.
Fonte: Brasil 247
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.