quarta-feira, 22 de maio de 2019

População brasileira rejeita caça

Dados revelam que quase a totalidade da população é contra a liberação da caça.
Rita Silva e Silvia Dias

Levantamento feito pelo Ibope a pedido do WWF-Brasil mostra que 93% da população brasileira são contra a liberação da caça, proposta numa série de projetos de lei de deputados ruralistas num conjunto de medidas que pretende desmontar a política ambiental do país. O decreto do presidente Jair Bolsonaro que facilita o porte de armas e a compra de munição  (Decreto 9785/2019 também é visto por especialistas como ameaça à fauna silvestre. Da mesma maneira, a tentativa de desfiguração do Código Florestal, também em debate no Congresso, é parte da mesma estratégia.
Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (22), quando se comemora o Dia Internacional da Biodiversidade, em evento na Câmara dos Deputados. O ato é promovido pela Frente Parlamentar Ambientalista, pela Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Animais, pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, pela Subcomissão Permanente em Defesa dos Direitos dos Animais e pelo WWF-Brasil. Na ocasião, também foi divulgado manifesto contra a caça assinado por mais de 700 organizações, parlamentares e personalidades. Um  abaixo-assinado  online já reúne quase 500 mil adesões contra a caça. O Ibope ouviu 2002 pessoas em 142 municípios e apontou uma sólida regularidade nos resultados quando analisadas as respostas por grupos
de gênero, escolaridade, situação econômica ou localização geográfica. Entre as mulheres, a rejeição à caça chega a 95%, enquanto que, para os homens, é de 90%. A condenação à prática aumenta na mesma proporção do nível de instrução. Chega a 94% para quem tem curso superior completo, a 93% para os que cursaram entre a 5ª e a 8ª série (93%) e a 90% entre os que têm até a quarta série do ensino fundamental. Os moradores de capitais e municípios de periferia apresentam índice de rejeição de (95%). Nas cidades do interior, esse número é de 91%. 
Quando são comparadas as regiões geográficas, os altos índices de rejeição se mantêm. O menor aparece no Nordeste (91%) e o maior está no Sudeste (94%). Nas regiões Norte e Centro-Oeste, o índice é de 92%, enquanto que na região Sul chega a 93%. A rejeição também se mantém praticamente inalterada nas diferentes faixas de renda familiar: 91% nas famílias que ganham até 1 salário mínimo, 93% entre 1 e 5 salários mínimos e chega 90% nas famílias que ganham mais de 5 salários. 
“A pesquisa do Ibope mostra que praticamente a totalidade da população brasileira é contra a ideia da liberação da caça no Brasil. Só isso já seria motivo suficiente para sepultar de vez qualquer tentativa nesse sentido”, resume o coordenador de Políticas Públicas do WWF-Brasil, Michel Santos. “Se somarmos a facilitação da caça com a tentativa de fragilização do Código Florestal, que vai diminuir as áreas de vegetação nativa que devem ser preservadas nas propriedades rurais, temos um cenário muito negativo para a fauna brasileira. Não podemos deixar isso acontecer e temos que agir agora, começando por derrubar a MP 867, que mexe na lei florestal e vai ser votada até semana que vem".
Fonte: AViV Comunicação
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.