sexta-feira, 14 de junho de 2019

ATÉ VEJA ABANDONA MORO E O VÊ 'DESMORONANDO'

Revista Veja, que liderou a campanha de propaganda contra o ex-presidente Lula e ajudou a transformar o ex-juiz Sergio Moro em herói, decidiu abandoná-lo; capa da edição desta semana diz que ele 'desmoronou' e o aponta como criminoso por diálogos com 'claras transgressões à lei'; também acusado de ser criminoso pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, Moro se escora em Jair Bolsonaro e diz que não irá renunciar ao cargo de ministro da Justiça.
Por Brasil 247

O ministro Sergio Moro perdeu, nesta sexta-feira, um apoio importante: o da revista Veja, que foi uma peça importante na guerra de propaganda contra o ex-presidente Lula, durante a Operação Lava Jato. A capa da edição desta semana diz que ele 'desmoronou' e sinaliza que praticamente toda a imprensa do Brasil e do mundo, à exceção da Globo, já considera incômoda a sua presença no governo. Veja também o vê como criminoso e diz que seus diálogos contêm claras transgressões à lei.
Ontem, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, disse que Moro cometeu crime e disse que a sentença contra Lula será anulada. “O chefe da Lava Jato não era ninguém mais, ninguém menos do que Moro. O Dallagnol, está provado, é um bobinho. É um bobinho. Quem operava a Lava Jato era o Moro”, disse Gilmar. “Eu acho, por exemplo, que, na condenação do Lula, eles anularam a condenação”.
"Mendes viu até a prática de um crime nas conversas vazadas. 'Um diz que, para levar uma pessoa para depor, eles iriam simular uma denúncia anônima. Aí o Moro diz: ‘Formaliza isso’. Isso é crime', avaliou Mendes, referindo-se a um trecho das mensagens em que Dallagnol escreveu que faria uma intimação oficial com base em notícia apócrifa, diante da negativa de uma fonte do MPF de falar", aponta. “Simular uma denúncia não é só uma falta ética, isso é crime.”
Fonte: Brasil 247
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.