quarta-feira, 5 de junho de 2019

Dia do Meio Ambiente, comemorar o que em Parnaíba?

Por Fernando Gomes
A questão ambiental pode ser o eixo norteador da construção de um novo modelo de gestão que se alinhe à sustentabilidade. Esta é o paradigma do mundo moderno que põe em xeque o atual modelo de organização da sociedade que privilegia o aspecto econômico em detrimento do social e do ambiental
Pressupõe um alinhamento entre estas três dimensões de forma a atender uma qualidade de vida às presentes e futuras gerações, enquanto ação ideológica que cuida das pessoas, utiliza os recursos naturais com racionalidade e promove o desenvolvimento econômico. Mas, por que isso não acontece?
[5/6 13:19] Fernando Gomes: Talvez aqui encontremos resposta para muitas perguntas que estrategicamente não são reveladas. A principal delas é entender porque a questão ambiental é vista e, às vezes, defendida pelos governos e governantes como algo da esfera preservacionista, meramente. Ou seja, falar de meio ambiente é cuidar dos bichos, das matas, dos rios, enfim, dos recursos naturais. Gente? Nem se fala!
[5/6 13:20] Fernando Gomes: Sabe-se, no entanto, que falar da questão ambiental é isso e muito mais, é falar também do esgoto que corre a céu aberto nas ruas; da “carne da moita” que é comercializada na cidade; do lixo que às vezes é jogado na rua pelo próprio cidadão e quando coletado, muitas vezes é lançado de forma incorreta na sua disposição final; é falar de um sistema de saúde falido e que não atende a quem precisa de cuidados médicos básicos; é falar de uma educação que não forma para a cidadania, quando muito leva instrução a uns poucos; é falar da representação política que não tem qualidade, que não defende os interesses coletivos; do avanço das drogas, da miséria e da fome, da violência, do desemprego, da aculturação, das discriminações...
[5/6 13:21] Fernando Gomes: Vê-se que falar da questão ambiental enfocando a qualidade de vida humana pode mudar o rumo. Por isso mesmo é “perigoso”! O perigo está na possibilidade de as pessoas perceberem que o que está errado é a forma como estamos (des)organizados e que é possível implantar um modelo diferente. O que levaria a questionar toda a ordem estabelecida e por fim a sua substituição. Utopia? Não. Tarefa difícil sim! Pois o “sistema” bem estruturado oferece resistência que passa pela manutenção da pobreza (alimentando a dependência estratégica da maioria) e pelos processos de corrupção (financiando as atividades ilícitas).
[5/6 13:21] Fernando Gomes: Parnaíba está embasada num conjunto de pressupostos culturais arraigados. Mudando esses pressupostos, muda também o conjunto de possibilidades, com consequências importantes também na esfera social. No dia do meio ambiente vamos pensar na possibilidade de um novo modo de organização social capaz de transformar o conjunto da sociedade, o seu pensar e seu agir frente às questões socioambientais. Vamos comemorar o 5 de junho?!
Edição: Mário Pires Santana
Fonte: WhatsApp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.