segunda-feira, 16 de setembro de 2019

‘Gente Querida’ lança livros sobre Da Costa e Silva e Mandu Ladino

Fotos: Ascom
Do Geral

Imagina abrir um livro e a cada página encontrar fatos históricos sobre admiráveis personagens piauienses. Essa é a ideia da Coleção ‘Gente Querida’, projeto que lançou, nesse sábado (14), os livros Da Costa e Silva e Mandu Ladino em quadrinhos, na livraria Anchieta, em Teresina.
Criado pelos professores Cineas Santos e Wilson Seraine, o projeto objetiva homenagear nomes de homens e mulheres cujas trajetórias se destacam na cultura do Piauí.
“A coleção ‘Gente Querida’ tem como grande objetivo o resgate do orgulho da nossa terra. Normalmente, nos espelhamos em pessoas de fora, muitas vezes até por falta de conhecimento dos nossos grandes nomes. O projeto tem a grande função de inspirar por meio do exemplo, de homenagear os verdadeiros heróis piauienses”, declarou Wilson Seraine, durante o lançamento.
O lançamento dos livros contou com um bate-papo descontraído. Cineas Santos, um dos idealizadores da Coleção, realizou a apresentação da publicação Da Costa e Silva em quadrinhos (2º volume da iniciativa), para o público. “Da Costa e Silva: o poeta mais festejado, mais louvado, o poeta menos lido do Piauí. Isso é uma coisa estranhíssima. Quando Da Costa e Silva lançou ‘Sangue’, em 1908, no Recife, o livro foi tratado como o lançamento do ano. O livro Sangue levou 99 anos para chegar ao Piauí. E chegou porque eu editei em 2007. Só existe um
jeito de amar um poeta. Lendo o que ele escreve. Espero que, a partir de agora, o poeta seja lido pelas crianças e, consequentemente, ele possa estar no coração de todos nós”, disse.
Nelson Nery, presidente da Academia Piauiense de Letras (APL) e escritor da obra sobre Da Costa e Silva evidenciou um dos desenhos criados pelo ilustrador Caio Oliveira. “Aquele desenho do túmulo da segunda mulher de Da Costa e Silva foi uma produção genial. Também fiz uma tirinha, onde apareço como personagem de terno e gravata. Nosso trabalho ressalta aspectos importantes que dão a dimensão que o Da Costa e Silva teve”, conta.
Durante o evento, o secretário estadual de Cultura Fábio Novo se colocou à disposição para realizar uma discussão com a secretária estadual de Educação com o intuito de adquirir e distribuir os livros nas escolas.
Membro da APL, o médico José Itamar realizou a apresentação do livro Mandu Ladino, juntamente, com Anfrísio Lobão Castelo Branco - autor do romance Mandu Ladino (2000). “Enorme emoção por ver a continuidade da ideia Mandu Ladino. Resgatar a autoestima do Piauí contando a nossa história é fundamental”, destacou Anfrísio.
Quem compareceu ao lançamento, também presenciou a descrição da criação da história em quadrinhos sobre Mandu Ladino. Rogério Narciso, ilustrador da obra, apresentou detalhes do processo criativo. Para ele, a publicação apresenta a ideia de resistência. O herói indígena travou combates em defesa da vida dos índios e retaliou o poder constituído na época.
“Os índios que tento representar possuem poucos adereços visuais. Pouca referência da pintura corporal, que é uma característica dos povos indígenas. Mas, como são poucos registros dessa referência visual no Piauí, tomei essa liberdade poética de não pintá-los”, complementou Narciso.
Pesquisador do Cangaço, o médico cardiologista Leandro Fernandes – escritor do livro sobre Mandu Ladino em quadrinhos, considera que Mandu representa para o índio o que Zumbi representa para o negro. “Ele é emblemático porque conseguiu arregimentar em torno de si índios que eram de tribos inimigas para lutar contra o colonizador opressor. Isso não existe na história do Brasil”, ressaltou.
Diversos artistas, escritores, familiares e amigos prestigiaram o lançamento das publicações, que estão disponíveis para aquisição na Livraria Anchieta.
Fonte: cidadeverde.com
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.