sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Trabalho de Wellington Dias o coloca entre os melhores governadores do Brasil

Os governadores de partidos de esquerda estão entre os melhores avaliados e os de direita, eleitos ao lado de Bolsonaro, estão entre os piores.
Por *Luiz Brandão 
Governador Wellington Dias/Foto/André Oliveira
Mesmo com a oposição e os adversários sempre tentando, eles não conseguem ofuscar a liderança de Wellington Dias, nem na seara política e muito menos na de gestor público. Várias pesquisas e mesmo as seguidas conquistas eleitorais do governador comprovam isso.
Tendo a conciliação como uma das suas principais características pessoais e política e a implantação de programa e projetos que beneficiam aos mais carentes como prioridades na gestão, Wellington vai abrindo espaços para mostrar suas ideias e obter conquistas importantes.
A mais recente pesquisa feita pelo Site Congresso em Foco, mostra que Wellington está entre os cinco melhores governadores do Brasil avaliados pelos líderes do Congresso.
A nova pesquisa do Painel do Poder, pesquisa feita pelo site Congresso em Foco em parceria com a In Press Oficina, revela que o governador do Piauí obteve nota 3,2, numa escala que vai de 1 a 5, também chamada de média ponderada. A pesquisa foi feita entre os dias 16 e 27 do mês passado (setembro).
De acordo com os dados, o mais bem avaliado no levantamento foi Rui Costa, da Bahia, com nota 3,6. Ele veio seguido de Renato Casagrande (Espírito Santo), com 3,4 e de Flávio Dino (Maranhão), que empatou com Camilo Santana (Ceará), ambos com nota 3,3.
Wellington Dias comentou a colocação e atribuiu a avaliação ao trabalho de toda a equipe do governo. "Fico feliz com este reconhecimento junto dos líderes do Nordeste do Brasil em destaque. É um trabalho duro e com o apoio de uma equipe boa e dedicada, somando esforços com líderes do setor público e setor privado, dos três poderes no Estado do Piauí e ainda buscando integração com os municípios e Governo Federal”, disse o chefe do Executivo.
Para ele, dirigir um estado “é como andar de bicicleta, é um esforço permanente, se parar cai. Na subida ou na descida tem que ter muito controle e equilíbrio. Agradeço a Deus e ao meu povo que me anima nos momentos duros como estamos enfrentando".
NA EUROPA - Esta semana, o governador está concluindo uma agenda internacional, na Europa. No domingo e na segunda-feira, Wellington Dias participou da Cúpula dos Governadores da Amazônia que aconteceu em Roma, com a participação do Papa Francisco.
"A humanidade tem grande responsabilidade com os destinos do nosso planeta e quero contribuir para caminho seguro. A posição do Sínodo, sob a liderança do Papa Francisco e governos sub nacionais da Pan Amazônia, e o Nordeste junto, o tempo dirá, será um divisor de aguas", disse Wellington. A agenda será finalizada na Alemanha e Noruega, nesta sexta-feira (1º).
NA RABEIRA - As notas mais baixas da pesquisa do Painel do Poder foram para Wilson Witzel (Rio de Janeiro), com nota 2, a mais baixa obtida entre os 13 governadores avaliados. Depois vieram Romeu Zema (Minas Gerais), com 2,3, Ibaneis Rocha (DF) e João Doria (PSDB-SP), empatados com 2,6.
O Congresso em Fico informa que o Painel do Poder é baseado em metodologia científica e usa a técnica de pesquisa por painel, feita a cada três meses. Ela contempla investigações tanto quantitativas como qualitativas, tomando por base uma amostra de líderes de aproximadamente cem parlamentares.
O texto sobre o Painel do Poder informa que a pesquisa contempla líderes de partido, líderes temáticos (pessoas que formam opinião em temas-chave), integrantes das mesas diretoras da Câmara e do Senado e presidentes das comissões mais importantes das duas casas. Neste levantamento, foram ouvidas 79 lideranças, mas oito entrevistas foram inteiramente descartadas para que a amostra considerada ficasse mais próxima da correlação real de forças do Congresso em termos de região, atitude em relação ao governo e expressão partidária.
Ainda segundo o site Congresso em Foco, dos 71 líderes considerados, 38% pertencem ao Senado e 62% à Câmara. Pertencem a partidos de oposição (PT, PSB, PDT, Psol, PCdoB e Rede) 25,4% dos líderes. Outros 9,9% são de partidos com posição indefinida ou independente em relação ao governo Bolsonaro (PSDB, Cidadania, Pros e PV). Todos os demais partidos foram considerados como parte da base governista, ainda que vários deles – e muitos dos seus líderes – não se apresentem assim, porque todas essas legendas têm votado com o governo na maioria das votações importantes do Congresso.
O governador Wilson Witzel era juiz, mas é apaixonado pela vida militar
Fonte: Piauí Hoje
Com Informação do Congresso em Foco e da assessoria do governador
*Luiz Brandão é jornalista formado pela Universidade Federal do Piauí. Está na profissão há mais de 35 anos. Já trabalhou em rádios, TVs e jornais. Foi repórter das rádios Difusora, Poty e das TVs Timon, Antares e Meio Norte. Também foi repórter dos jornais O Dia, Jornal da Manhã, O Estado, Diário do Povo e Correio do Piauí. Foi editor chefe dos jornais Correio do Piauí, O Estado e Diário do Povo. Atualmente é diretor de jornalismo do portal www.piauihoje.com
Luíz Brandão
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.