sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

“Sorte” é uma construção

Por *Janguiê Diniz 
É muito comum, ao se ver uma pessoa de sucesso, dizer que ela teve sorte. A “sorte” só vale para quem ganha um prêmio, recebe uma herança, enfim, enriquece por fatores externos. Quando falamos em sucesso verdadeiro, vemos que a sorte não é fator determinante. Na verdade, o que se chama de “sorte” é a reunião de uma série de fatores que podem levar uma pessoa ao sucesso e à prosperidade. Essas pessoas constroem sua própria sorte.
O primeiro elemento da “sorte” é o conhecimento. Vivemos na era da informação e do conhecimento. Nesta sociedade, a informação e conhecimento, chamados de capital intelectual, são muito mais importantes do que os recursos materiais como fator de desenvolvimento humano; considerados, inclusive, instrumentos de poder. 
Nesta nova era, nenhum país do mundo consegue sair de um estágio de subdesenvolvimento senão por meio da educação do seu povo, e isso só ocorre com um investimento forte, real, eficaz e eficiente na educação. Por sua parte, quem deseja empreender e se desenvolver precisa buscar o conhecimento; nem sempre a educação acadêmica, mas estar informado, conhecer o mercado em que atua ou deseja atuar, seus concorrentes, as práticas do setor. Conhecimento é algo de que ninguém pode abrir mão. 
A “sorte” também necessita de habilidades e competência. Competência consiste na capacidade, aptidão ou habilidade que a pessoa tem de resolver determinado problema, ou seja, é fazer bem o que se propõe a fazer. Já a habilidade, por seu lado, é a aplicação prática de uma determinada competência para resolver uma situação complexa. Se você quer fazer algo, faça bem feito. Para isso, qualifique-se. E aí voltamos ao ponto do conhecimento, que é a via de chegada à qualificação.
Mas um dos fatores mais determinantes para quem quer ter “sorte” é o trabalho. O trabalho enaltece o homem, engrandece a alma e enriquece o bolso; portanto, sempre faz bem ao ser humano. Trabalhar duro por algo em que acredita chama-se propósito e jamais deixará o ser humano cansado, principalmente quando é feito com alegria. O ócio, entretanto, pode levá-lo à exaustão.
Procure ocupar-se de algo que lhe dá prazer, pois, como diz o antigo provérbio, "trabalhe com o que você gosta, e não precisará trabalhar um dia sequer na sua vida". Faça isso desenvolvendo as habilidades necessárias para tal, estudando e obtendo conhecimento, colocando-as em prática com afinco. E trabalhe duro, com determinação e empenho, até conseguir conquistar a prosperidade e poder ser, enfim, chamado de sortudo. É que as pessoas não sabem quanto trabalho que dá ter sorte.
*Fundador e Presidente do Conselho de Administração do grupo Ser Educacional.
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.