quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Dobra número de resgatados em trabalho escravo no PI, diz PRF

Entre 2017 e 2019 a quantidade de trabalhadores resgatados em ação conjunta com o Ministério Público do Trabalho aumentou de 25 pra 60.
Por Nathalia Amaral, com informações da PRF.
Foto: Divulgação/PRF
Segundo informações divulgadas nesta terça-feira (28), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), 60 trabalhadores foram resgatados em situação análoga à escravidão durante o ano de 2019. O número representa um aumento de mais do dobro dos casos registrados em 2017, quando 25 pessoas foram resgatadas. Em 2018 não há registros de resgates de trabalhadores.
Para a PRF, esses números, apesar reduzidos comparados ao restante do país, acendem um alerta nas autoridades sobre esse tipo de cometimento de crime. Um dos casos registrados ocorreu em outubro de 2019, quando a PRF e o Ministério Público do Trabalho realizaram operação de combate ao trabalho escravo na zona rural do município de Bom Jesus, a 637 km de Teresina. O objetivo da operação é o resgate dos trabalhadores e o combate ao aliciamento de trabalhadores.

O local ponto de fiscalização tratava-se de fazendas localizadas na serra do Quilombo na zona rural do município de Bom Jesus. Foram resgatados nesses locais 38 trabalhadores em condições análogas à escravidão. O trabalho exercido pelos trabalhadores consistia em catação de tocos com sacos sem Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e excedendo a carga horária. Eles ainda estavam em um quarto improvisado com teto baixo bem pequeno, o que aumentava a temperatura no local devido às altas temperaturas registradas na região. O ambiente contava com pouca higiene, com esgoto a céu aberto e a presença de insetos.

Os trabalhadores dormiam em camas com colchões bem velhos e com mofo. A água para consumo humano não era adequada e desprovido de ambiente limpo para manipulação de alimentos. A carga horária exaustiva em torno de 12 horas diárias e com folga só após 15 dias de trabalho. Os trabalhadores não recebiam nenhum tipo de EPI.
Diante das condições expostas, concluiu-se que os trabalhadores estavam alojados em um ambiente completamente insalubre. Na ocasião, os proprietários das fazendas foram autuados pelo MPT conforme a legislação vigente.
A PRF pretende durante o ano de 2020 intensificar a fiscalização nas rodovias como forma de coibir o aliciamento e o transporte de trabalhadores e realizar ações conjuntas com o MPT, inibindo esse cometimento de crime.
Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo
O Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo é lembrado em 28 de Janeiro. Na semana desta data se celebra a Semana Nacional de combate ao Trabalho escravo, onde diversas atividades são organizadas pela sociedade civil, sindicatos e poder público para jogar luz sobre o problema do trabalho escravo moderno no Brasil e mobilizar a sociedade para exigir sua erradicação.
A data foi criada em 2009 para homenagear Erastóstenes de Almeida Gonçalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva e o motorista Ailton Pereira de Oliveira, que foram assassinados em 28 de janeiro de 2004 durante inspeção para apurar denúncias de trabalho escravo em fazendas da região de Unaí (MG), episódio que ficou conhecido como Chacina de Unaí.
Fonte: portalodia.com
Grifos do Editor
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.