domingo, 26 de janeiro de 2020

*Mc Marombão*

Por *Gustavo Rosal

- Tens um rostinho doce, perdido entre o Amor e a Distância, a me procurar. 
- Não tem nada perdido aqui, seu bisonho. 
- Me conto os pedaços do coração que tu partiste, mas meus olhos quebrados, como espelho, esperançosos, refletem-te. 
- Meu Deus, eu sou tão terrível?. 
- A terrível morte de minha Espera, Alegria, minha Vida é imaginar o alheamento do teu riso leve. 
- Buscardis as minha gaitadis? Pois tomai-dis e vai-te: "k... k... k...". 
- Mas que tamanho prazer, e me abismo, te levas a crer nos sussurros da Ironia? Ai, minha víbora calipígia, Afrodite cancerígena de colo ainda tenro. 
- É o quê?. 
- De tudo ao meu amor serei atento ant.... 
- Espera, espera! Essa eu já ouvi. É do... Bill Coimbra ou é um feat com a Anitta? Mc Marombão?. 
- .... 
- Calado você é um poeta.
23.01.20.
*Gustavo Rosal é escritor, especialmente poeta, cronista e contista. Participou das coletâneas "Versania" e "Contos entre Gerações", ambas de repercussão na cidade de Parnaíba, para além de outras publicações em jornais culturais, revistas, sites, blogs, redes sociais e afins, a exemplo do jornal "O Piagüí", o blog da Academia Parnaibana de Letras, o espaço "Escrever sem Fronteiras", de iniciativa do Sesc, "Trema", "Gueto", "Vacatussa". É bacharelando em Direito pela UESPI. Nascido em Teresina, no ano de 1996.
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.