domingo, 19 de janeiro de 2020

Nassif: as dificuldades da Globo para concorrer com a mídia globalizada

Concorrentes como a Netflix e as redes sociais, os custo operacionais e de direitos de transmissão e exibição, além da queda contínua da receita de publicidade, estão entre as principais dificuldades que Luis Nassif aponta que a Rede Globo terá pela frente para enfrentar a nova etapa de globalização da mídia.
POR GGN
Luis Nassif
Dias atrás, a Globo Participações colocou US$ 500 milhões em títulos da dívida no mercado internacional. São papéis com prazo de 10 anos e retorno de 4,875%. Em momentos de taxas internacionalmente baixas, a demanda foi bem superior à oferta. Mas análises de consultorias sobre a empresa detalham as dificuldades que a Globo terá pela frente para enfrentar a nova etapa de globalização da mídia.
Em novembro, o grupo registrou resultados fracos. Durante o dia, sua participação na audiência caiu de 39% em 2018 para 37%. E no horário nobre, caiu de 44% para 41%.
As receitas de publicidade, que representam 61% da receita total, caíram 12%. Mesmo com os cortes efetuados, o EBITDA (Lucros antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) caiu 45%, de 12% para 7%.
As maiores ameaças são3 o crescimento da Netflix e da mídia social. No caso da
TV paga, os assinantes estão diminuindo, caindo de um pico de 19,5 milhões em 2014 para 16,1 milhões.
O declínio da receita foi generalizado, mesmo com a redução de preços praticado pela empresa.
E, aí, se entra em um campo já previsto pelas emissoras populares há anos: o custo operacional da Globo para manter a diferenciação de qualidade. Além dos custos de casts, houve aumento nos custos dos direitos de transmissão e exibição, especialmente em eventos esportivos.
Leia o artigo na íntegra no GGN
Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247.
Fonte: Brasil 2477
Edição: Mário Pires Santanyyba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.