sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

*Flagrante de cinema na Av. São Sebastião*

Por *Gustavo Rosal

Passeava uma senhora e uma pequena, de mãos dadas, ao lado de um canteiro de flores amarelas na Avenida São Sebastião. Havia uma boa semelhança entre as duas: a cor e o rosto, ressalte-se, mas também qualquer coisa da forma ereta de caminhar, os pés leves, vagarosos, os cachos infindáveis. A roupa? Igualzinha: macacão jeans, 80's. Não se via mais gente, senão elas. A menina pretendeu correr, soltar-se, no rompante próprio das infâncias. Foi à frente, ao lado mais seguro, examinou os azulejos de uma coluna, enquanto a senhora, com a rédea um pouquinho libertina, olhava aqui e ali, de plácidos olhos, com uma atenção de viés que pareceu muito sua. Chegara ao canteiro, a pequena, e como criança tem pulso para destruição, a mulher alarmou-se: duas, três ligeirezas e estava pronta à reprimenda. Como no filme, a menina colheu uma das poucas flores do canteiro. "Belas são as flores" - ela sabia, e presenteou a mulher, que sorriu. Um desarme de camisa 10: total. A mulher esqueceu-se de repreensões, voltando ao seu ritmo, novamente com a mão da menina colada à sua. O cronista observava, disfarçado, por trás de uma xícara de café. As duas se distanciavam, uma com flor no cabelo, e, já enfeitadas de capacetes, montavam a motocicleta. Estavam
mais lindas, naturalmente, do que toda a tarde. O resto é desimportante.
11.02.20.
*Obs: a imagem que eventualmente acompanhar esse texto é mera reprodução, sem pretensões autorais e sem fins econômicos.
*Gustavo Rosal é escritor, especialmente poeta, cronista e contista. Participou das coletâneas "Versania" e "Contos entre Gerações", ambas de repercussão na cidade de Parnaíba, para além de outras publicações em jornais culturais, revistas, sites, blogs, redes sociais e afins, a exemplo do jornal "O Piagüí", o blog da Academia Parnaibana de Letras, o espaço "Escrever sem Fronteiras", de iniciativa do Sesc, "Trema", "Gueto", "Vacatussa". É bacharelando em Direito pela UESPI. Nascido em Teresina.
Edição: Mário Pires Santana 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.