domingo, 16 de fevereiro de 2020

Pesquisador piauiense descobre nova espécie de planta

Mais uma nova espécie foi descoberta pela ciência. Desta vez a espécie Calea diamantinensis, encontrada nos campos rupestres do Cerrado de Minas Gerais.
Por *Francisco Soares - Ciência Viva
Prof. Dr. Genilson Alves Reis e Silva. Fonte: Arquivo Pessoal
A descoberta foi feita pelo pesquisador piauiense Genilson Alves dos Reis e Silva, Doutor em Botânica pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) em Minas Gerais.
A planta é um arbusto perene que cresce em áreas da Cadeia do Espinhaço na região central do Estado de Minas Gerais, mais precisamente no município de Diamantina (MG). A descoberta da planta foi fruto do desenvolvimento da tese do Prof. Genilson, orientada pelo Dr. Jimi Naoki Nakajima, um dos maiores especialistas mundiais nas plantas da família botânica das Asteráceas. Esta família é uma das maiores do Reino Vegetal e compreende muitas espécies bem
conhecidas, como as margaridas e girassóis.
Calea diamantinensis. Fonte: Arquivo Pessoal
A descoberta de uma nova espécie é precedida por coletas e muitas horas de estudos com as plantas. Em geral as plantas são coletadas, devidamente processadas e fazem parte da coleção de um herbário. O herbário é uma espécie de “biblioteca” de plantas desidratadas para serem estudadas e que servem de testemunhos para estudos que envolvem plantas, como por exemplo estudos farmacológicos. Para chegar à conclusão de que se tratava de uma nova espécie o Prof. Genilson chegou a examinar plantas de 19 herbários espalhados pelo Brasil, dentre eles o Herbário do Museu Nacional, Herbário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro e Herbário do Jardim Botânico de São Paulo.
A descoberta de uma nova espécie abre uma nova lacuna de estudos a serem desenvolvidos com aquela planta. Um ponto importante é a necessidade de se proteger a nova espécie uma vez que ela foi encontrada em uma população restrita em área de campos rupestres da Cadeia do Espinhaço em uma altitude que varia entre 1060 e 1430 metros acima do nível do mar. A espécie, mesmo sendo nova, já é classificada como criticamente ameaça de extinção.
        Cadeia do Espinhaço. Fonte: Arquivo Pessoal
Sobre o pesquisador

Genilson Alves dos Reis e Silva é natural da cidade de Valença do Piauí e professor do Instituto Federal do Piauí, campus Valença. Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Piauí, com mestrado em Botânica pela Universidade Federal Rural da Amazônia e doutorado em Botânica pela Universidade Federal de Viçosa. Já participou de vários programas. No Brasil, como pesquisador, participou do programa PPBIO (Programa de Pesquisa em Biodiversidade), e no exterior participou de curso na Faculdade de Agronomia de Montevideu (Uruguai) e realizando atividades de pesquisa no Herbário da Universidade Autônoma do México (Cidade do México). Atualmente, é o coordenador do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do IFPI, campus Valença e desenvolve pesquisas acerca da diversidade vegetal na região valenciana.
Fonte: *cidadeverde.com
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.