sábado, 15 de fevereiro de 2020

PF cumpre mandados contra lavagem de dinheiro em Parnaíba

Operação SENES II investiga crimes de estelionato e corrupção no âmbito de instituições previdenciárias. Além dos mandados, também foi efetuado sequestro de bens.
Por Maria Clara Estrêla
Foto: Maria Clara Estrêla/O Dia
A Polícia Federal amanheceu esta sexta-feira (14) cumprindo dois mandados de busca e apreensão na cidade de Parnaíba, litoral piauiense. As ações ocorrem dentro da Operação SENES II, que dá continuidade às investigações de crimes de estelionato, falsidade ideológica, corrupção e formação de organização no âmbito de instituições previdenciárias. Na última quarta-feira (12), foi deflagrada uma operação para combater crimes semelhantes praticados em Santa Catarina, com mandados sendo cumpridos também no Piauí. 
Por meio de nota, a Polícia Federal informou que, além dos dois mandados de busca e apreensão sendo cumpridos em Parnaíba, também foi efetuado o sequestro de bens e imóveis e o bloqueio de valores determinados pela 1ª Vara Federal Criminal de Teresina. Vale lembrar que o inquérito que originou a Operação SENES foi instaurado em 2019 e na primeira fase da ação foram presos integrantes de um grupo organizado suspeito da prática de fraudes previdenciárias, falsidade documental e corrupção.
Até o momento, não foi informado se houveram prisões aqui no Piauí no âmbito das ações deflagradas hoje (14).
Até o momento, não foi informado se houveram prisões aqui no Piauí no âmbito das ações deflagradas hoje (14). 
Segunda ação em menos de uma semana
A Operação SENES II é a segunda ação deflagrada pela Polícia Federal nesta semana para combater crimes praticados no âmbito de instituições previdenciárias. Na última quarta-feira (12), com apoio da Caixa Econômica Federal, a PF deflagrou a Operação Eleazar para desarticular uma organização criminosa que realizava saques fraudulentos de precatórios em diversas regiões do país.
A investigação teve origem em uma tentativa de saque ocorrida no município de Capivari de Baixo, estado de Santa Catarina. No curso da investigação, foram obtidos fortes indícios de que a organização criminosa se aproximava de advogados através de aplicativo de mensagens, com a finalidade de que realizassem os levantamentos dos precatórios utilizando-se de documentos ideologicamente falsos, obtidos principalmente em cartórios do Maranhão e Piauí.
Cerca de 70 policiais deram cumprimento a 19 mandados de busca e apreensão e a um mandado de prisão preventiva em quatro estados, sendo um deles no Piauí.
Fonte: portalodia.com
com informações da Polícia Federal
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.