sábado, 29 de fevereiro de 2020

Rivengo sem gols e com 3 expulsos mantém times em perigo no Campeonato Piauiense

Por *Fábio Lima - Na Esportiva
Dos elementos que um clássico poderia ter, só faltaram os gols. River e Flamengo empataram em 0 a 0, na noite deste sábado (29), no estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina (PI). A partida, adiada da 4ª rodada por conta dos jogos do Galo na Copa do Brasil, foi marcada por poucos lances de perigo, confusão entre atletas e três expulsões. O resultado complica a vida dos dois times no Campeonato Piauiense. O tricolor continua na sétima posição, na zona de rebaixamento, agora com 5 pontos em 6 jogos. O Flamengo segue em perigo, com apenas 6 pontos em 8 partidas disputadas. O resultado revoltou riverinos, que protestaram na saída do time do estádio. Alguns bateram nos carros de jogadores. O ônibus do tricolor foi cercado por policiais da tropa de choque, mas poucos atletas foram embora nele. 
O River volta a jogar na terça-feira (3), contra o Ceará, pela Copa do Nordeste. O jogo foi transferido para o Lindolfo Monteiro por conta da interdição do estádio Albertão. Pelo Campeonato Piauiense, o Galo visita o Altos no próximo domingo (8), em outra partida adiada do torneio. Na quarta-feira (11), o Flamengo enfrentará o Altos, fora de casa, pela 9ª rodada do Campeonato Piauiense. 
Mudança de local
A partida foi transferida para o Lindolfo Monteiro após decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que interditou o estádio Albertão depois dos atos de violência de torcidas organizadas no dia 9 de fevereiro, na partida entre River e América (RN), pela Copa do Nordeste. 
No Lindolfinho, policiais militares fizeram revista em torcedores para impedir a entrada de objetos proibidos no estádio. O repórter Wellyson Costa, da Rádio Cidade Verde, registrou a apreensão de dois foguetes. Porém, torcedores do Flamengo acenderam sinalizadores no segundo tempo, no setor de arquibancadas. 
Bandeiras e uniformes da torcida Esporão do Galo, suspensa por 120 dias por determinação judicial, não foram vistos. Do lado tricolor das gerais, alguns vestiam preto, cor adotada por integrantes da TEG desde a decisão liminar da Justiça do Piauí. 
O jogo
O primeiro tempo foi de pouca criação e, com isso, raras chances de gol. As melhores só surgiram no final da etapa. O Flamengo quase abriu o placar com uma cabeçada de Rian, que o zagueiro Wagner tirou de cima da linha do gol, também de cabeça. 
Minutos depois, Emerson respondeu pelo River. O volante arrancou pelo lado direito e chutou na trave direita de Robson.
O segundo tempo melhorou em movimentação, ainda que boas jogadas não tenham terminado com bola na rede. Índio Pernambucano, que entrou no segundo tempo, deu mais velocidade ao ataque o rubro-negro. No tricolor, Marcelo Vilar tirou Bismarck e deixou o River com quatro atacantes de ofício em campo: Érico Júnior, Valdo Bacabal, Luccas Brasil e Romário (depois substituído por Cris Maranhense). 
A pressão era maior do lado do River, que chegou a ouvir gritos de "Vergonha, time sem vergonha" por parte de torcedores no setor da geral. 
Nos últimos 10 minutos, o Flamengo ganhava tempo. O goleiro Robson levou cartão amarelo por retardar a cobrança de tiro de meta. Jogadores do Leão também caíam campo reclamando de cãímbras. 
A partida terminou com confusão dentro de campo. Nos acréscimos, jogadores dos dois times começaram a brigar após falta sofrida pelo River no meio do campo. Cris Maranhense e Luccas Brasil, do River, e Correia, do Flamengo, foram expulsos.
Fonte: *cidadeverde.com
Edição: Mário Pires Santana 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.