quinta-feira, 19 de março de 2020

Bolsonaro ganha um novo e improvável crítico: Olavo de Carvalho

O AUTOPROCLAMADO FILÓSOFO OLAVO DE CARVALHO
‘Agora talvez seja tarde para reagir’, publicou o guru dos terraplanistas em suas redes sociais, no segundo dia de panelaço contra o governo
O presidente Jair Bolsonaro foi alvo de críticas de Olavo de Carvalho, considerado o guru bolsonarista, na noite da quarta-feira 18. Enquanto várias cidades fazia o segundo dia de panelaço contra o presidente, Olavo usou suas redes sociais para criticar algumas atitudes de Bolsonaro.
“Desde o início do seu mandato, aconselhei ao presidente que desarmasse os seus inimigos antes de tentar resolver qualquer “problema nacional”. Ele fez exatamente o oposto. Deu ouvidos a generais isentistas, dando tempo a que os inimigos se fortalecessem enquanto ele se desgastava em lacrações teatrais. Lamento. Agora talvez seja tarde para reagir”, publicou o filósofo autodeclarado.

Olavo de Carvalho

Desde o início do seu mandato, aconselhei ao presidente que desarmasse os seus inimigos ANTES de tentar resolver qualquer "problema nacional". Ele fez
exatamente o oposto. Deu ouvidos a generais isentistas, dando tempo a que os inimigos se fortalecessem enquanto ele se desgastava em lacrações teatrais.
Lamento. Agora talvez seja tarde para reagir.

2,8 mil


Depois, emendou: “Eleito para derrubar o sistema, o Bolsonaro, aconselhado por generais e políticos medrosos, preferiu adaptar-se a ele. Suicídio.”

Olavo de Carvalho
há 19 horas
Eleito para derrubar o sistema, o Bolsonaro, aconselhado por generais e políticos medrosos, preferiu adaptar-se a ele. Suicídio.

3 mil


Com uma sucessão de equívocos à frente da Presidência, e atitudes que também desgastam a sua figura política, caso da recente declaração do seu filho e deputado federal, Eduardo Bolsonaro, que culpou a China pelo coronavírus, principal parceiro comercial do país, Bolsonaro tem cada vez mais acenado ao Legislativo e Judiciário para mostrar harmonia entre os poderes. “Nossa União é que dará o norte que o Brasil precisa”, declarou o presidente na noite da quarta-feira, em pronunciamento no Palácio.
Mais cedo, em uma entrevista concedida à Rede Globo para comentar a pandemia do coronavírus, Bolsonaro reafirmou ideias do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Teremos dias duros, mas serão menos difíceis se cada um se preocupar com seus parentes”, contou. É sabido nos bastidores que Bolsonaro tem cobrado um discurso mais político de Mandetta que, por exemplo, assegure que a economia do País não pare em meio a crise endêmica vivida.
Questionado sobre os panelaços contra o seu governo, Bolsonaro respondeu: “Se o time perde, o primeiro a ser demitido é o técnico. O nosso time está ganhando. Se o time está ganhando, vamos elogiar o seu técnico, o seu técnico chama-se Jair Bolsonaro.”
Fonte: CartaCapital
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.