domingo, 8 de março de 2020

Brasil tem apenas dez prefeitas negras e nem todas são progressistas

Da Lola Ferreira e Vitória Régia da Silva no Gênero e Número na CartaCapital
ZÉLIA É PREFEITA DE ITAPIRAPUÃ (FOTO: DIVULGAÇÃO)
Nas últimas eleições municipais (2016), os brasileiros elegeram apenas 640 mulheres para comandarem prefeituras, e destas, tão somente 1,6% se autodeclararam pretas. São dez mulheres administrando cidades nas cinco regiões do Brasil; algumas delas sequer podem concorrer novamente: já foram reeleitas naquele ano. Em 2020, quando terminarem seus mandatos, que legado estas prefeitas deixarão? E qual é o cenário para mulheres pretas que pretendem furar essa bolha e aumentar esse índice irrisório?
Dados compilados pela Gênero e Número a partir do Tribunal Superior Eleitoral apontam que foram eleitas prefeitas pretas em Açucena (MG), Dois Irmãos (RS), Itapirapuã (GO), Lagoa do Carro (PE), Maracanã (PA), Oiapoque (AP), Rio Acima (MG), Santa Inês (MA), Santo Antônio da Barra (GO) e São Vicente Ferrer (MA). Exceto Santa Inês, todas as cidades têm menos de 50 mil habitantes.
São municípios completamente diferentes entre si, em relação a desenvolvimento humano, condições de saneamento básico e, principalmente, proporção de pessoas pretas.
Fonte: O Essencial - DCM
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.