terça-feira, 21 de abril de 2020

Estudantes interrompem intercâmbio internacional devido à pandemia

As irmãs Isadora e Isabela Teles até chegaram a desembarcar em Portugal, mas logo retornaram ao Brasil.
Por Isabela Lopes
(Foto: Pedro França/Agência Senado)
As irmãs Isadora e Isabela Teles também precisaram adiar seus planos por conta da epidemia do coronavírus. Isadora, estudante do curso de Letras Inglês, na Universidade Federal do Piauí (Udpi), foi aprovada para participar de um intercâmbio em Portugal e estudar na Universidade do Porto, cuja as aulas iniciaram em fevereiro. Já Isabela, graduanda em Design de Moda e Estilismo, também na Ufpi, iria fazer um curso particular. Os planos das irmãs em viajar para a Europa acabou seguindo novos rumos, pois o país estava vivendo de perto a epidemia do coronavírus.
Com dificuldades para tirar o visto, as irmãs só conseguiram chegar a Portugal no dia 21 de fevereiro, uma semana após o início das aulas. Porém, o que parecia ser o início de uma grande experiência, precisou ser adiado e decisões rápidas precisaram ser tomadas.
“Eu só tive uma semana de aula do curso e logo depois cancelaram. Foi muito chocante, porque começaram a cancelar as aulas em um dia e no dia seguinte todas as universidades já tinham cancelado as aulas e, em três dias, a cidade parou. Nossos planos eram passar a quarentena em Portugal, na esperança de que as aulas iriam continuar, mas decidimos voltar para o Brasil. Foi uma decisão de última hora, porque os casos estavam aumentando em grande velocidade e Porto era a cidade que mais tinha casos de coronavírus e isso nos assustou”, relata Isabela Teles. 
Já Isadora teve apenas duas semanas de aula, antes de serem suspensas por tempo indeterminado. “Claro que foi uma surpresa, mas não foquei tanto nessa questão de expectativas quebradas por causa de tudo que está acontecendo. Foi tenso, mas está sendo bem mais complicado para outras pessoas, como as que estão sem trabalho neste momento. A instituição que me ofereceu o intercâmbio disse que eu poderia voltar sem perder a bolsa e, enquanto isso, tenho feito minhas aulas online aqui no Brasil mesmo”, conta Isadora Teles
Segundo Isabela, o prejuízo maior foi o financeiro, devido à dificuldade em tirar o visto, as passagens para outro país, além do curso particular, entre outras coisas. Apesar da viagem cancelada e das aulas suspensas, Isabela enfatiza que a sensação que fica neste momento é de alívio por ela e Isadora terem conseguido retornar ao Brasil em segurança e ficarem próximas da família.
Isadora acrescenta que, neste momento, deseja que essa situação seja resolvida o mais breve possível. “Acredito que dê para voltar depois, mas por hora espero que tudo isso acabe. Todos estão tendo planos cancelado, mas precisamos entender que não temos o controle de tudo”, conclui Isadora Teles.
Fonte: portalodia.com
Edição: Mário Pires Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores, e não refletem, de maneira nenhuma, a opinião do redator deste portal.